Quarta-feira, 18 de Maio de 2011
Cuidados Paliativos e Direitos Humanos

 

Começa hoje em Lisboa o 12º Congresso da Associação Europeia de Cuidados Paliativos, organizado pela APCP, e é impressionante o número de profissionais de saúde inscritos para participar nestes dias de forum: cerca de 2500 especialistas em Cuidados Paliativos, entre portugueses e estrangeiros. Muitos deles são figuras de referência nesta área e isso traz aos debates uma qualidade e uma profundidade enormes. Fiz, como sabem, voluntariado em Cuidados Paliativos durante dois anos, à cabeceira de doentes terminais ou crónicos. Foi um tempo que marcou um 'antes' e um 'depois' na minha vida e na minha percepção do que é a verdadeira humanização dos cuidados de saúde. Já escrevi e volto a escrever: os Cuidados Paliativos não podem ser para uma elite; têm que ser para toda a população, sem excepção! Assim como já ninguém se questiona sobre a necessidade e urgência de cuidados específicos ao nascer, também ao morrer estes cuidados devem ser prestados a todos, independentemente da sua condição social ou da área onde vivem. A geografia de um país não pode interferir na qualidade dos serviços de saúde e se hoje em dia qualquer mulher, vinda de qualquer ponto do país, tem direito a cuidados e cuidadores especializados quando vai dar à luz, também nós mulheres, homens e crianças de todas as idades temos direito a cuidados e cuidadores específicos quando estamos em sofrimento, especialmente quando esse sofrimento é terminal ou se perpetua na doença crónica, progressiva e incurável. Vou estar no congresso e vou actualizando as notícias aqui no blog. 

 

P.S.: O quadro da fotografia é do Pedro Calapez. 

 

publicado por Laurinda Alves às 08:37
link do post | favorito
De Fernanda Matias a 18 de Maio de 2011 às 17:16
Querida Laurinda

Não posso estar presente neste Congresso, mas já estive noutros de Cuidados Paliativos. Tenho pena pois, aprendemos muito de como se faz e o que se pode fazer, embora o que se pode fazer , nem sempre se faça.
Lamentávelmente a geografia, condiciona, e muito, esta prestação de cuidados, fundamentais ao um menor sofrimento e mais qualidade de vida a quem deles necessita.
Talvez a "geografia " seja muito injusta, pois eu sei bem de tantas pessoas que sofrem e morrem nas suas casas, sem qualquer tipo de cuidados nesta área. É mesmo muito injusto ,apesar de reconhcer que já há boas práticas. Infelizmente, ou vá se lá saber porquê, não são para todos, os cuidados paliativos.

Um grande abraço

Fernanda Matias
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds