Domingo, 28 de Novembro de 2010
O primeiro livro de Matilde Velho Cabral

 

Pó e Leite Azedo, eis o título de um livro de poemas que a Chiado Editora acaba de publicar. Matilde Velho Cabral, a autora, tem 17 anos e é filha de uma das minhas primas direitas. Fui ao lançamento do livro, que me comove de uma forma particular por ser de alguém muito próximo e familiar. Mais uma vez não tenho distância crítica para falar de um livro que não me surpreende nada, pois a Matilde é uma leitora compulsiva desde a infância e lembro-me de lhe ralharam às horas das refeições e a obrigarem a deixar os livros para ir para a a mesa. Por ela, esquecia-se de comer.

 

 

A Chiado Editora aposta em autores portugueses e nos 'novos, novos' e acho admirável que o faça, já que todos os grandes escritores precisaram de alguém que acreditasse neles quando ainda não eram conhecidos nem eles próprios estavam assim tão seguros dos seus talentos.

 

 

A sala da Biblioteca Municipal de Cascais encheu-se de amigos e familiares da Matilde, que deu dezenas de autógrafos estreando-se nesta 'arte' da proximidade entre quem escreve e quem lê. Gostei muito de a ouvir falar sobre a sua escrita, sobre a sua demanda interior para escrever poesia e sobre a importância que tem para ela esta forma de expressão. Falou pouco mas disse tudo. Nunca perdeu o sorriso que, nela é marcante e contagiante. E muito bonito. Já li todos os poemas, claro, mas agora é o tempo em que os vou lendo e relendo demoradamente.

 

 

"Tudo passa, tudo muda

 

É riso é alegria,

Pranto e tristeza,

De que vivo eu,

Senão da melancólica incerteza."

publicado por Laurinda Alves às 18:02
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De Romina Barreto a 29 de Novembro de 2010 às 00:07
Que bonito, comove-me isto... o talento em geral mas também os novos talentos que vão surgindo. Parabéns à Matilde e a toda a família! Um beijo Laurie :)

Romina Barreto
De Laurinda Alves a 29 de Novembro de 2010 às 00:48
Querida Romina!!!!! Há séculos que me perguntava por onde andarias, tão caladinha... Estava com saudades :) Obrigada pelos dois comentários. Um e outro tocaram-me de forma especial. Bjs daqui até à Madeira. Já fizeste 18 anos? Risos e bjs
De Zilda Cardoso a 29 de Novembro de 2010 às 08:11
Para já, antes de ler o livro, posso afirmar sem sombra de dúvida: que linda!
De maria joao a 1 de Dezembro de 2010 às 09:30
Eu também lá estava , curiosa e atenta, a " tia " que a viu nascer ( literalmente ) .
Plena de uma maturidade desconcertante, a sua escrita denota feminilidade. A Matilde é o elogio à sensibilidade e às Mulheres de Letras.
Tenho pena de não ter o privilégio de ser tua professora e confidente mas, deste-nos a conhecer o teu intímo através da escrita e tu és muito bonita! PARABÉNS pela tua coragem ( eu nunca a tive ).
Tia Maria João Graça
De Maria Casanova a 3 de Dezembro de 2010 às 16:06
O sorriso, a alegria, a felicidade, ... de quem sonha por um mundo melhor, estava estampado no rosto da Matilde!
Seus poemas se por um lado indiciam muita jovialidade, apontam também para a maturidade e sensibilidade de uma jovem Senhora.
Ao ler os poemas da Matilde lembrei-me dos meus dezassete anos em que lia Camus .
Parabéns, Matilde por nos teres proporcionado uma tarde de sábado tão agradável.
Parabéns, e obrigada Clara!
Um abraço e felicidades

Maria Prazeres Casanova

Comentar post

.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds