Segunda-feira, 15 de Novembro de 2010
A ética dos donos dos cães

 

O cão da fotografia de cima foi mordido pelo cão da fotografia de baixo e a cena não passou despercebida a ninguém. De repente os dois cães lutaram intensamente no meio da rua e os donos viram-se aflitos para os separar. O cão de baixo estava sem trela e como aparentemente foi ele que provocou o de cima, o dono sentiu-se mais culpado.

 

 

Depois de os separar e de lhe dar ordens firmes para ficar quieto e não se aproximar, o dono do cão que mordeu atravessou a rua para ajudar a dona do cão que de certa forma foi vítima, pois seguia o seu caminho tranquilamente pela trela, quando o outro subitamente o atacou e mordeu. A cena foi muito agressiva mas muito breve e felizmente não deixou sequelas graves. Fez impressão ver e ouvir os dois cães e, por isso, toda a rua parou e ficou suspensa daquela luta. Gostei da ética irrepreensível do dono do cão que atacou e também gostei do tom da dona do cão que foi atacado. Nem um nem outro perderam a cabeça, se insultaram ou agrediram verbalmente, muito pelo contrário. Ouvi pedidos de desculpa que foram imediatamente aceites, apesar dos nervos do momento. Antes assim.

 

publicado por Laurinda Alves às 21:36
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Reflexos a 15 de Novembro de 2010 às 22:16
Olá,

Pois eu bem sei o que isso é. O meu Bono , que hoje faz anos, foi mordido nas aulas de obediência por um rotweiler .
Perdi imenso tempo e dinheiro a tratá-lo e o dono do outro cão nem uma única vez me perguntou se precisava de alguma coisa e continuou a encontrar-se comigo todos os fins-de-semana até ao fim do curso.
A parte positiva é que o Bono não perdeu o seu temperamento dócil e quando via o outro cão... desprezava-o, sem medos e sem raivas... grande cão!
De Marcolino a 16 de Novembro de 2010 às 09:46
Olá, Laurinda!
As leis portuguêsas não admitem que estes animais, refiro-me aos canideos, andem sem trela e sem açaime e, alem disso, um seguro para cobrir os estragos materiais, e corporais, em pessoas e animais.
Sei disso porque sempre tive cães de boas raças, porte médio e pequeno, devidamente treinados mas, não obstante isto, recorri sempre ao cumprimento das leis, às indicações dos criadores, e aos conselhos dos treinadores.
Até hoje não me dei nada mal com isto, não fiz sofrer, pessoas, nem animais, com a minha desobediencia às leis, e às indicações recebidas, tanto dos criadores, como dos treinadores.
Abraço
Marcolino
De micaela a 16 de Novembro de 2010 às 12:43
são coisas deles....eles até sabem porque o fazem, e tenho a certeza, que qualquer atitude agressiva vinda de qualquer animal não é gratuita, como vinda dos homens. é bom aprendermos com eles....e não os repreendermos de qualquer maneira.
De Kássia Kiss a 16 de Novembro de 2010 às 19:04
O dono do cão agressor agiu bem, mas o seu cão, ainda por cima do tamanho que é, não devia andar no meio da cidade sem trela, por mais obediente que seja. Coisas destas podem sempre acontecer, principalmente, entre machos. Quem entende de cães, sabe isso. E previne-se!

Além disso, é conhecido (ou devia ser, pelo menos, de quem possui um cão) que normalmente dá mau resultado o encontro entre um cão com trela e outro sem ela.

Comentar post

.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds