Sábado, 16 de Outubro de 2010
Prevenção do suicídio

 

Anúncio no Metro de Bruxelas, a pedir voluntários anónimos para serem ouvintes na linha SOS de prevenção ao suicídio. Conheço histórias de pessoas que foram salvas por estes voluntários e talvez por isso este anúncio tenha prendido mais a minha atenção. A frase-slogan diz tudo ou quase tudo sobre a condição humana: um homem existe a partir do momento em que é escutado.

publicado por Laurinda Alves às 09:22
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De Joana Freudenthal a 17 de Outubro de 2010 às 02:20
Laurinda,
Também há em Portugal?
Beijinhos com saudades.
De Laurinda Alves a 18 de Outubro de 2010 às 01:33
Joana, a resposta veio com a mesma rapidez, eficácia e humanidade com que estes serviços são prestados dia após dia, ano após ans. Abraço para ti!
De Voz de Apoio a 17 de Outubro de 2010 às 21:44
Há cerca de 30 anos que existem em Porugal serviços de apoio emocional e prevenção do suicídio, com atendimento por telefone, carta e e-mail.
Ainda bem que a Laurinda Alves foi a Bruxelas para que os seus leitores possam agora descobrir o que há várias décadas se passa em Portugal.
Aqui fica o nosso exemplo:
Telefone: 225 50 60 70
E-mail: sos.vozdeapoio@sapo.pt
www.vozdeapoio.no.sapo.pt
De Laurinda Alves a 18 de Outubro de 2010 às 01:31
Muito obrigada pelos contactos. Tenho textos publicados há mais de 10 anos em revistas e livros sobre os vossos serviços de apoio e o papel extraordinário que têm desempenhado ao longo de décadas. Força e felicidades! Abraço extensivo às equipas
De Fernanda Matias a 19 de Outubro de 2010 às 14:09
A Prevenção do Suicidio
È muito bom falarmos do que conheçemos, para que muita gente passe a saber mais. A Laurinda Alves, ao falar na prevenção do suícidio, a propósito dos cartazes do metro em Bruxelas, ´prestou-nos um Serviço Público. Temos que lhe estar agradecidos e também por desde há anos escrever sobre o tema.
Eu também tenho integrado, dese há muitos anos, várias reflexões sobre os tema, com Médicos de Saúde Pública ( Dr. Cardoso Ferreira um abraço enorme ) de Saúde Mental e de tantas pessoas.
As Linhas de Apoio Anónimo são importantissimas, especialmente para quem não tem acesso a outros meios de ajuda ou não consegue mesmo, em alguns momentos, estar caca a cara com alguém. A mim, para ser ajudada ou ajudar, faltam-me sempre as expressões, os olhos, as caras.
Mas também se podem prestar ajudas para a vida, mesmo sem se ver um rosto. Obrigada á Voz de Apoio.

Fernanda Matias
De João Nuno a 18 de Outubro de 2010 às 02:57
Partilho este texto que escrevi agora, com desejos de uma semana feliz!
Beijinhos.
João Nuno
***

Tens o tom carmim no rosto pequeno e angelical, onde os meus dedos deslizam em pensamentos de essências suaves, de descobertas furtivas, de insuficientes lembranças para a grandeza do sentimento.

Refresco em ti a sede de continuar a trilhar caminho e dedico-te, com toda a emancipação de palavras que o universo possa ter, a coragem ondulante desse mar veloz e imenso que tantas vezes vimos em conjunto, de mãos dadas, como se o minuto se prolongasse por horas de desterros saborosos.

Faço do teu toque um poema com aromas de alecrim e delicio-me com a capacidade monocórdica que, como se de um lírio se tratasse, a tua voz tem. O som apraz-me a uma brisa que teima em permanecer onde a minha alma paira.

Volto a voar dentro de mim e faço acrobacias de sonhos felizes. Sem ilusões.

E não me chamem louco, inconsciente, incoerente ou tudo o mais. Por mal ou por bem, a verdade, a real, é que depois de aprender a viver com a vida nas mãos já não me consigo despegar dela. Como se de um címbalo se tratasse. Daqueles que ressoam num coração que percorre mundos que o céu ainda não consegue alcançar.

A estrada é o caminho mais nítido e altivo que abarco do cume do meu interior. E entre o ir e o ficar, o solidificar ou o continuar, prefiro sempre perder-me naquilo que te consigo oferecer: a minha verdade.

Todas as estrelas do céu são malmequeres de pétalas mil. Que se soltam uma a uma, com a lentidão do amor. E com a calma necessária que a mente tem de impor à força da razão.

És um pedacinho de sol agreste em nuvens de algodão acolchoado. E de tudo isto retiro a dádiva da partilha que me tens ensinado. As trevas resplandecem a luz quando as embrulhamos em gestos de coragem.

Com tudo o que consigo ser. E com a certeza de que, mesmo não sendo muito, é de alma a brotar de paz. Com a maior simplicidade do mundo.
De Zilda Cardoso a 19 de Outubro de 2010 às 12:25
Reforço a ideia do cartaz com o que digo sobre o OUTRO no meu blogue
http://zildacardoso.blogs.sapo.pt/90224.html

Comentar post

.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds