Sábado, 9 de Outubro de 2010
Nem só de pão vive o homem

 

Maria Aparício, espanhola, enfermeira especializada em Cuidados Paliativos, em fase de doutoramento nesta matéria, é uma das pessoas mais alegres e contagiantes que conheci na Unidade de Cuidados Paliativos do Hospital da Luz, no meu tempo de voluntariado de cabeceira. Aprendi muito com toda a equipa liderada por Isabel Galriça Neto, e esta sexta-feira tive o imenso prazer de rever grande parte desta sua/minha equipa no lançamento de um novo livro sobre Cuidados Paliativos.

 

 

Zita Seabra (Aletheia) editou o livro e Ricardo Costa (SIC/Expresso) apresentou a obra perante uma plateia a transbordar de profissionais de saúde, especialistas em Cuidados Paliativos, políticos e famílias de doentes acompanhados em unidades de CP. Bagão Félix, Paulo Portas e Assunção Cristas, do CDS/PP, têm defendido esta causa na Assembleia da República e não podiam deixar de estar presentes, claro. Acho bem que se atravessem pelos Cuidados Paliativos e só descansem quando eles forem gratuitos e estiverem disponíveis para todos os portugueses.

 

 

Graças à força inquebrantável de Isabel Garlriça Neto e de todos os profissionais especializados em CP, os Cuidados Paliativos começam a ser uma realidade expressiva em Portugal. Mas ainda há muito, muito por fazer e, por isso, todos não seremos demais para reivindicar mais e melhores unidades de Cuidados Paliativos. O livro é uma colecção impressionante de testemunhos de profissionais, doentes e suas famílias. Embora eu não seja nada imparcial nesta matéria e também tenha um texto meu neste livro, aconselho-o vivamente, pois é uma obra transformadora.

 

P.S.: A primeira foto, onde a Maria aponta para a inscrição grafittada, foi tirada numa das paredes da livraria Aletheia. Aproveitei a metáfora para reforçar a ideia de que os Cuidados Paliativos são uma necessidade básica.

publicado por Laurinda Alves às 23:39
link do post | comentar | favorito
10 comentários:
De viguilherme a 10 de Outubro de 2010 às 10:55
É sempre bom apoiarmos todos aqueles que fomentam uma melhor qualidade de vida quer para as pessoas saudaveis quer para aqueles que se encontram doentes ......deve-se cada vez mais trabalhar e solidariezarmo-nos para um mundo mais saudavel e um saber viver e conviver por esses ideais .......parabens a esse evento por tãõ grandiosa causa de melhor qualidade de vida ......
De João Delicado a 10 de Outubro de 2010 às 11:48
Sempre que vejo a frase "Nem só de pão vive o homem" ela aparece-me acompanhada de uma memória e um sorriso. É que há alguns anos li um texto em que alguém fazia essa mesma citação "Nem só de pão vive o homem" e, depois, com toda a seriedade que se pede a quem faz uma citação, referia o autor: nem mais nem menos - assegurava a fonte - que "Paulo Coelho".
De Joana Freudenthal a 11 de Outubro de 2010 às 09:19
João, esta é lindaaaaaaaaaaaaa!!!!!! :)
De Maria a 10 de Outubro de 2010 às 12:34
Laurinda! Obrigada pelas tuas palavras!! gosto muito de ti!
Beijinhos!
Maria
De concha a 10 de Outubro de 2010 às 12:42
Querida Laurinda !
Também eu tenho saudades , quem sabe nos encontramos um dia numa esquina desta cidade !Que bom que é que tenha sempre o cuidado de nos alertar para os livros que vão sendo publicados e que merecem ser lidos .Não vou perder de modo algum este .
Beijos e um abraço grande
De Cuidados a 10 de Outubro de 2010 às 13:44
Além do Dr. Paulo Portas, da Dra. Assunção Cristas e, de ter lido no texto, a presença do Dr. Bagão Félix, observei também na fotografia a presença do Dr. João Semedo, creio que médico, deputado do Bloco de Esquerda e defensor destas e doutras causas. Mas posso estar enganado.
De João Nuno a 11 de Outubro de 2010 às 02:54
Querida Laurinda, vi o livro na 5ªfeira na FNAC. Hoje passei parte da manhã a rever o trabalho de mestrado de um amigo sobre CP e o tema da crónica desta semana para o jornal onde escrevo também é esse. Parece que tudo se harmoniza!:)
Uma boa semana e um beijinho grande. Obrigado por defender sempre causas tão bonitas.
João Nuno
De Raquel Martins a 11 de Outubro de 2010 às 10:36
A comemoração do Dia Mundial para os cuidados Paliativos, no passado dia 9 de Outubro, deve lembrar-nos que esta questão deverá ser considerada prioritária na Assembleia da República, mesmo em tempos de crise. Não percebo o autismo da nossa ministra da Sáude, ao desmarcar a reunião prevista com a Associação Portuguesa de Cuidados paliativos sem razão aparente.Crescemos com o diálogo e não com o silêncio imposto. A crise, é para o nosso Governo, argumento válido para todas as necessidades, mesmo quando vemos algumas notícias que nos falam abertamente em despesismo escandaloso. Hoje, a SIC, passou ( viva, aos não silenciados!!!) uma notícia em que se fazia a pesquisa no site do orçamento sobre os gastos de 2010 feitos a propósito de aniversários...e como podemos constatar, as comemorações dos 29 anos do Sistema Nacional de Sáude( por ex:) parecem ser mais merecedoras de ajuda financeira do que questões nucleares como esta.... Gasta-se disparatamente em jantares comemorativos, em alugueres de espaços públicos, para conferências de imprensa.... Este tema não pode ser esquecido, nem silenciado, pelo que se torna urgente, que os poucos íntegros que nos restam na Assembleia da República, o ponham em discussão na ordem do dia, e se lembrem, que todos nós, um dia, podemos acabar por precisar directamente, ou indirectamente, destes cuidados humanizados e humanizadores que nos diferenciam enquanto cidadãos responsáveis e respeitadores do próximo. Actualmente, o que existe, é pouco e manifestamente insuficiente, para as necessidades do nosso país, que é cada vez mais idoso e tendencialmente mais dependente deste apoio...Este apoio é fundamental para quem precisa e pouco tem e não pode ser baseado na condição financeira de cada um. Trata-se de um direito universal, que deveria estar considerado na nossa Constituição. A meu ver, bem mais prioritário que outras questões levantadas e enbandeiradas pelo Executivo, em prol do respeito pela diferença e opção sexual. Esta é uma questão transversal que deveria estar na agenda e deveria ser um compromisso assumido por todos os partidos com assento na Assembleia.
De Isabel Moreira a 12 de Outubro de 2010 às 22:19
Laurinda, bem-haja pela sua disponibilidade para me ouvir na livraria Alêtheia , lançamento do livro Cuidados Paliativos. E tenho de lhe dizer que a 1.ª vez que li sobre este assunto foi a entrevista à Dra.Isabel Galriça Neto na... XIS! Sim, continuo a guardar e a consultar. Comentei um post seu em 2008 (Abril ou Julho) através de outro e-mail Maria Victoria Marques, mas não o localizei agora ao pesquisar. Seguindo a sua sugestão, gostava de lhe dar a conhecer a Associação dos Familiares e Amigos do Doente em Cuidados Paliativos no Agora e no Depois - Afectos pr'a Vida, sediada na Casa de Saúde da Idanha. Minha Mãe delá partiu ao fim de 8 meses rodeada de um infinito amor e carinho de todos os profissionais. A psicóloga Sílvia Noné propôs-me fazer parte de um grupo de apoio ao luto durante 1 ano (experiência muito boa) e, passado algum tempo, para o núcleo que no início deste ano concretizou a Associação. No mencionado livro, e em que colaborou , há um testemunho do Paulo Pascoal que fala desta Associação e outro da Fátima Suzana , ambos fazem parte da comissão instaladora. Não me vou alongar, agradeço que me indique o que lhe posso enviar: o folheto de divulgação (ficheiro em pdf ) ou apenas lhe reproduza o texto do mesmo. Com gratidão, Isabel Moreira
De JOANA BF a 17 de Outubro de 2010 às 16:37
COM MUITA PENA DE NÃO TER ESTADO PRESENTE NESTE DIA TÃO IMPORTANTE P TODOS NÓS...! ABRAÇO TODOS COM UM BJ ENOORRMEEE!!!
JBF

Comentar post

.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds