Terça-feira, 7 de Setembro de 2010
Livros, política e direitos humanos

 

Faltou-me falar de livros radicalmente importantes na minha formação humana, cívica e política e como não vou fazer mais uma lista incompleta, deixo aqui apenas 3 livros marcantes em matéria de política e direitos humanos:

 

Arquipélago de Gulag, Alexander Soljenítsin

Longo Caminho para a Liberdade, Nelson Mandela

A Audácia da Esperança, Barack Obama

 

Há meia dúzia de livros que leio e releio constantemente (especialmente os de poesia e os mais epopeicos) e nessa meia dúzia incluem-se as Memórias de Adriano, de Yourcenar; o Livro do Desassossego, de Fernando Pessoa; a Obra Poética de Sophia; Loin de Byzance, de Joseph Brodsky; Fragmentos São Sementes, de Novalis; Nabokov sempre, mais uma ou outra biografia de escritores e artistas ou pensadores que me apaixonam ou fascinam. E pronto, quanto a livros por agora é isto. Como vejo pouca televisão, acabo por ter sempre duas ou três horas de leitura por dia. Ou, melhor, por noite.

 

P.S.: Adorei as listas, as sugestões, as partilhas e tudo o que acrescentaram nestes dias em matéria de escritores e escritos. Muito bom, muito obrigada.

publicado por Laurinda Alves às 12:31
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Carlos Manuel Lopes da Silva a 7 de Setembro de 2010 às 13:44
Eu também não ligo a televisão, daí que as leituras mais importantes sejam ao serão.
Só não dedico todo o tempo aos livros, por causa da parte familiar. O sofá à frente da televisão acaba por ser um ponto de encontro e de partilha de momentos em família.

Obrigado pelas sugestões literárias.
Como tive oportunidade de referir anteriormente, vindas de alguém que admiro, vão ser tidas em conta em aquisições e leituras de um futuro próximo.
De Marcolino a 7 de Setembro de 2010 às 17:35
Querida Laurinda,
Nunca a imaginei lendo e relendo obras «radicalmente importantes na minha formação humana, cívica e política», numa espécie de fundamentalismo literário.
Imaginei-a sempre, isso sim, pessoa de alma sã, sem qualquer propensão a radicalismos, aberta a tudo e todos, sem se deixar influenciar pelos escritos de terceiros.
Engraçado, como estas coisas se nos revelam, sob o olhar providencial de Deus.
Cada um de nós é uma caixinha de surpresas; gostei de como se me revelou!
Beijinho de grande amizade
Marcolino
De Fernanda Matias a 8 de Setembro de 2010 às 14:16
Caro Marcolino

Não sei se é porque estou em dia não, por alguma falta saúde, mas de facto não percebi nada do comentário que faz áos livros eleitos pela Laurinda Alves. O que será o fundamentalismo e radicalismo literários?
Qualquer forma de fundamentalismose radicalismo, fecham-nos para o Mundo.
Um abraço para si e boas leituras

Fernanda Matias
De Fernanda Matias a 8 de Setembro de 2010 às 17:27
Caro Marcolino

Agora reli com mais atenção o seu comentário ás leituras da Laurinda Alves,e, por isso, peço-lhe imensa desculpa pelo comentário que lhe enviei sobre a questão, mas só agora reparei que o Marcolino diz exactamente o contrário da minha 1ª interpretação, isto é a Laurinda não tem qualquer propensão por radicalismos .
Foi mesmo do meu dia mau.

Um grande abraço
Fernanda Matias
De Marcolino a 8 de Setembro de 2010 às 22:32
Olá, Fernanda!
Agradecido pelo seus comentários!
Grande abraço, e as suas rápidas melhoras!
Marcolino
De viguilherme a 7 de Setembro de 2010 às 18:16
Percorrer a costa Vicentina é sentir um Atlantico mais azul numa costa entre o agreste /selvagem /virgem e a doçura e beleza dos segredos da paisagem ......

Os livros que nos acompanham em longas viagens de horas solitárias são amigos a não perder .....não esqueço alguns livros da Agustina (a trilogia -o principio da incerteza -a joia dde família -a alma dos ricos .e fora desta.a quinta essência ),não esqueço o Gabriel Garcia Marqes com seu -cem anos de solidão -Herman Hesse -o jogo das contas de vidro .Laura ESquivel -como água para chocolate --IsabelAllend , Miguel Sousa Tavares ,Mia Couto ,José gues dos Santos ,Mario Claudio ,e os icones Simone Beauvoir ,Jean Paul Sartre ,yourcenar ,e....e....Julio Verne ,tolkien e....e....momentos da nossa históia ficcionados -rota da pimenta -rota das especiarias -1808 -enquanto Salazar dormia ....e....e.....Alice no país das maravilhas e o princepezino e o peter pan e...e....um caos de lembranças em reencontros vividos .......e....e....

e
De tarsília a 7 de Setembro de 2010 às 20:03
Como o tema dos livros fica por aqui, por agora, vou citar o que estou a ler neste momento: MAMA DAY de Gloria Naylor.
Isto resulta de outra partilha que faço com uma antiga professora minha de Cultura Norte Americana, dos EUA. Depois comentamos sob pontos de vista muito diferentes. Tem sido engraçado.
Um abraço
De Carlos Santos a 8 de Setembro de 2010 às 08:30
Ainda sobre livros, poesia:do suplemento (P2) do público de 3-09-2010, p. 3: “Escrito na Pedra – Todo o Homem saudável consegue ficar dois dias sem comer – sem a poesia, jamais.”, de Caharles Baudelaire, autor francês (1821-1867).
De Fernanda Órfão a 9 de Setembro de 2010 às 17:49
Dois livros que gostei muito de ler, pelo que deixo a sugestão.

Alegria Breve de Vergílio Ferreira
O outro pé da Sereia de Mia Couta

Comentar post

.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds