Quarta-feira, 23 de Junho de 2010
Tolentino ao fim da tarde na Fundação Gulbenkian

 

Ir a pé pela cidade ao fim da tarde e atravessar os jardins da Gulbenkian a horas de ouvir Tolentino Mendonça falar sobre o silêncio é um verdadeiro luxo intelectual e espiritual. Fui ouvir o que tinha para dizer sobre todos os tipos de silêncio e saí de lá cheia de ideias para pensar. A lição de Tolentino foi muito estimulante e abriu a uma nova compreensão do mundo interior de cada um, mas também dos mundos à nossa volta. Deixo aqui um abraço a duas Isabel Mota (a amiga daqui do blog, que todos conhecemos e me pergunta como foi este fim de tarde, e a minha amiga Isabel Mota da Gulbenkian a quem dou os parabéns por mais esta iniciativa) e depois, quando tiver tempo, escrevo umas linhas sobre a substância da conferência. Já estou afundada na 'noite' da mesa de montagem, a 'viajar' por outros lugares, com outras pessoas, mas não posso deixar de referir este encontro de ontem e a maravilha que foi o discurso e a narrativa de Tolentino Mendonça, apresentado por António Pinto Ribeiro.

 

publicado por Laurinda Alves às 10:41
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De maria a 23 de Junho de 2010 às 14:28

Olá Laurinda,

Primeiro uma palavra de agradecimento por ter "alertado" aqui no blogue sobre esta palestra, pois a timidez falou mais alto para lho fazer pessoalmente. Larguei a ciência mais cedo, e dei-me ao luxo de desfrutar um fim de tarde assim. Soube-me tão bem! Uma viagem de silêncio entrelaçado nas palavras de Tolentino Mendonça, de John Cage, de Cícero e Apolónio, de Rumî e Lao Tzé, do Eclesiastes, dos Salmos e de Job, de Gregório de Nazianzo, de Pseudo-Dionísio, passando por Jerónimo, Ambrósio e Agostinho, ou pelos sempre surpreendentes padres do deserto, de Isaac de Nínive, dos silêncios estruturantes da escola de Pitágoras, da Cartuxa ou da regra de São Bento e de tantos outros. Foi bom, muito bom passar o fim da tarde com todos no silêncio que bebe cada palavra, no silêncio de um tempo de graça (kairós), no Silêncio irrompido em Carne, na Voz do Fino Silêncio escutada por Elias.

Foi bom, foi muito bom. Estava a precisar de um momento assim com tamanha elevação.

Um beijinho.
De Mariana a 24 de Junho de 2010 às 13:15
há coisas que falam mais alto e vá-se lá saber o motivo. pensei ir assistir, mas soube-me melhor ficar em casa a gozar os meus dias livres de faculdade, no meu sofá de volta do computador. e, por uma força qqr, estava certa. na hora da conferencia estaria depois a conduzir de volta a casa para um momento muito doloroso: a morte do meu avo. o que tambem tem que ver com o silencio.
cha-com-mel.blogspot.com
De Laurinda Alves a 24 de Junho de 2010 às 17:05
Ai meu Deus, Mariana. Agora fiquei sem palavras. Imagino que o seu avô lhe faça muita falta... Estou consigo. Um abraço enorme e muito especial

Comentar post

.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds