Segunda-feira, 21 de Junho de 2010
Um vício chamado Murakami

 

Li em dois dias (ou melhor, duas noites) o livro "Sputnik, meu amor" de Murakami, que já não é novidade nenhuma, e agora tenho o novo livro dele para ler. "O Elefante Evapora-se" acaba de ser publicado e chama por mim, mas infelizmente não posso dar-me ao luxo de lhe pegar durante o dia. Estou presa às desgravações das entrevistas para os programas de TV, mas nas pausas sei que vou começar a lê-lo. Murakami é um autor irresistível para mim. Devoro os seus livros porque a sua escrita me prende da primeira à última linha. Sou incapaz de demorar a ler uma obra de Murakami porque tudo me interessa e tudo me fascina. Gosto da realidade-real e irreal e adoro a sua capacidade para misturar uma e outra. É tão possível revermo-nos na estranheza como na leveza e na pureza de uma narrativa quase sempre cinematográfica. Os livros de Murakami são como bons filmes. Para quem gosta do género, claro, mas por alguma razão ele é um dos maiores autores de culto da actualidade.  

publicado por Laurinda Alves às 11:31
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Anónimo a 21 de Junho de 2010 às 15:13
concordo plenamente consigo, já li quase todos os livros dele, todos têm pormenores que os tornam sui generis e fazendo com seja dificil a escolha da história/livro que mais nos marcou... mas agora veio-me à memória o Kakfa à beira-mar (o inesquecível nakata), a crónica do passáro de corda são sublimes estes livros.
isa
De Laurinda Alves a 21 de Junho de 2010 às 16:45
Isa, são mesmo! Que gira também esta ligação entre pessoas que não se conhecem mas se reconhecem nos livros e nas palavras dos outros... Abraço!
De cultura spagnola a 21 de Junho de 2010 às 16:07
Olá, estou a estudar Português e eu aconteceram em seu blog que bom!
De Laurinda Alves a 21 de Junho de 2010 às 16:48
Olá, percebo inteiramente o sentido da sua frase, ainda que só metade da frase esteja bem construída :) O tempo é um grande escultor, como dizia Yourcenar. Com tempo o seu português ficará mais afinado, tenho a certeza. Abraço e obrigada pela presença aqui.
De rita soares a 21 de Junho de 2010 às 16:36
Laurinda, qual o melhor livro do Murakami para si? quero começar ... obrigada :-)
De Laurinda Alves a 21 de Junho de 2010 às 16:51
Rita, é difícil eleger mas já que me pergunta eu diria que o que mais me tocou até por circunstâncias pessoais e de timings foi o A Sul da Fronteira, a Oeste do Sol. Também gostei muito do Kafka à Beira-Mar (tem mais estranheza, digamos assim) e deste que agora li, mais um completamente atípico em que Murakami fala do seu vício de correr. Ele é maratonista 'fanático' e esse livro é auto-biográfico e revela o sentido que faz para ele correr. Enfim, é o embaraço da escolha... Abraço e boas leituras!
De Nucha a 21 de Junho de 2010 às 18:32
Laurinda,
"Sputnik, meu amor" é o meu preferido.
Beijinhos,
Nucha
De João Nuno a 21 de Junho de 2010 às 20:54
Querida Laurinda, coincidência! Tb eu leio "O Elefante Evapora-se". Já tinha escrito sobre o livro no meu blogue. Adoro Murakami. E o que mais gosto é sentir que quando o leio a minha fé pelas coisas supera qualquer dúvida que possa ter.
Ainda não o terminei, mas está quase.
Aliás, na crónica que escrevi a quinzena passada para o jornal "A Reconquista" Murakami e as traduções da Maria João Lourenço tiveram destaque.
Obrigado por mais esta partilha.
Um beijinho, neste fim de tarde (olho pela janela...lembro-me da luz e da importância destes momentos).
João Nuno
htpp://joaonunonmb.spaceblog.com.br
De Carlos Manuel Lopes da Silva a 19 de Julho de 2010 às 14:13
Sou fã inveterado de Haruki Murakami.
Já li quase todos os livros deste autor, editados em português.
Os que me faltam são os 2 últimos: "Auto-Retrato do Escritor - Enquanto Corredor de Fundo" e "O elefante evapora-se" e "Underground - O Atentado de Tóquio e a Mentalidade Japonesa". Este último, porque me parece fugir um pouco da escrita peculiar e genial de Murakami. Segundo li, trata-se de um excerto de entrevistas a pessoas envololvidas neste flagelo.

"Em busca do carneiro selvagem" foi o livro que deu o mote ao meu fascínicio por H. Murakami. Desde aí nunca mais parei e, apesar de ter constantemente imensos livros, de diversos autores, em lista de espera, sinto necessidade de intercalar com Haruki Murakami.

Partilho da mesma opinião da Laurinda, quando diz que é difícil escolher um título favorito.
Sinto-me ingrato para com todas as restantes obras, quando elejo "Kafka à beira-mar" como sendo o meu predilecto... Mas, talvez pelas circunstâncias e altura da vida em que li esta obra, pelo meu conhecimento prévio deste autor (em "
"Em busca do carneiro selvagem", como referi atrás) e pela ternura inerente a 2 personagens principais do livro, o certo é que sempre que penso ou ouço falar de Haruki Murakami, vem-me à cabeça e ao coração o incrível "Kafka à beira-mar".
Sem dúvida, esta obra marcou a minha vida. Pelos melhores motivos possíveis.

Haruki Murakami é, sem dúvida, um ícon, um dos melhores escritores da actualidade.

Comentar post

.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds