Sexta-feira, 14 de Maio de 2010
O aumento dos impostos e as ideias inovadoras

 

"Os particulares vão contribuir com mais do dobro do dinheiro do que as grandes empresas para o plano de austeridade do governo/PSD em resultado do pagamento de uma nova taxa (especial) sobre o rendimento. Os salários vão ajudar a abater mais o défice público deste ano do que os lucros, basicamente (...) Mas a factura das famílias não fica por aqui. Para além da sobretaxa de IRS que incide sobre os salários brutos da esmagadora maioria dos portugueses, todos os consumidores - no fundo, toda a população portuguesa, cerca de 10,6 milhões de pessoas - vão pagar mais IVA." As notícias de ontem e de hoje deixam-nos inquietos, fustrados e zangados mas não nos podem paralisar. É preciso coragem e persistência para seguir em frente e acreditar que haverá luz ao fundo deste túnel. Já passei por situações de desemprego e durante dois anos e meio também estive semi-desempregada, com um rendimento muito escasso e, por isso, falo por experiência própria. O talento é a grande aposta. Há sempre espaço e é sempre tempo para as boas ideias e as boas práticas. Hoje 'volto' ao INSEAD e aos apontamentos do curso que fiz no ano passado, para renovar a minha confiança no valor de cada um e na possibilidade de, à escala individual, criarmos oportunidades de crescimento para nós e para os que estão à nossa volta. Os case-study dos empreendedores sociais revelam sempre na origem uma ideia simples mas com impacto social e transformador. O grande desafio hoje é não desanimar, não desistir e tentar encontrar soluções positivas para as várias crises que atravessamos. É difícil, bem sei, mas não é impossível. A sério! 

publicado por Laurinda Alves às 10:59
link do post | comentar | favorito
8 comentários:
De MarianaC a 14 de Maio de 2010 às 12:40
Obrigada Laurinda!
Espero que a muitos portugueses tenham o mesmo pensamento que a Laurinda, não podemos baixar os braços e temos que aceitar estas mudanças para a melhoria do nosso País. Também eu estou numa situação complicada, vou casar em breve e o meu futuro marido acabou de ficar desempregado, mas estou certa que tudo se irá resolver e tenho esperança e Fé que é apenas um momento de passagem.
Obrigada hoje e sempre pelas suas palavras encorajadoras e cheias de sabedoria.
Um beijinho,
Mariana
De Mónica a 14 de Maio de 2010 às 13:31
Olá Laurinda,

Não imagina como me identifico com este seu post !
Estou actualmente desempregada, mas não tenho estada parada ... a "necessidade aguça o engenho" e, provavelmente, se as minhas circunstâncias profissionais fossem outras, não me teria lançado num novo projecto onde pela primeira vez procuro explorar a minha capacidade de fazer coisas e não só! O meu projecto chama-se "De Fio A Pavio" porque quero dar largas à criatividade onde quer que ela me leve ...
Não quero com isto dizer que me pareça boa ou ideal a situação de desempregada até porque tenho sentido na pele as dificuldades inerentes, mas muitas vezes são os momentos difíceis os de maior crescimento e é preciso estar atento a oportunidades que antes nem considerávamos. É preciso acreditar, trabalhar com empenho e paixão e confiar!

Um beijinho, é sempre um gosto acompanhar as suas partilhas,
Mónica
De PAS a 14 de Maio de 2010 às 14:54
Laurinda,
Obrigada por mais este post, pela força e pelo "pensamento pela positiva".
Depois destes 3 dias de emoções com a vinda do Santo Padre, uma notícia destas quase que nos derruba, mas com a nossa Fé, vamo-nos aguentar.
Abraço,
PAS
De silvia a 14 de Maio de 2010 às 15:56
Que palavras saborosas e doces. Vieram no momento certo. Viver, hoje, é um desafio à nossa capacidade de acreditar. Beijinho e bom fim de semana
De isabel mota a 14 de Maio de 2010 às 18:42
Olá minha querida Laurinda
Regresso aqui para te agradecer eu, que não mereço o destaque que me dás... mas muito obrigada. Se bem que o que mais me agrada é saber-me, e não só a mim, a tantas pessoas, nos teus silêncios.
Uma vez mais olhas para as notícias ligadas à actualidade política e económica com uma partilha que emociona, constrange e cativa. Que delicada alma a tua e que delicadeza essa que usas sempre que falas de momentos menos bons, tão iguais aos nossos... tão perto de todos os que te acompanham... há uma coisa que eu gosto muito e que são os serões... às vezes, durante o serão, fico a pensar em como seria bom ter conversas contigo e com tantas pessoas que por aqui se cruzam, ao serão! Talvez estes assuntos preencham outros serões, de tantas casas, de tantas pessoas... como preenchem o meu. Também fico preocupada e também já experimentei estar desempregada... numa outra altura tive dois empregos e também já estive num lugar onde não me sentia bem. Sai para a incerteza... Hoje, neste fim de tarde em que o meu coração está cheio de alegria, alento e esperança, junto-me a ti na força que transmites. Para quem se sinta mais desanimado, encosto-me às tuas palavras, que nos fazem companhia. E penso que tantas vezes é nos momentos difícieis, que a vida nos dá oportunidade de sermos melhores para nós mesmos. Não desistam nunca, há sempre alguém com quem o nosso caminho se vai cruzar e que acabará por nos ajudar a ver soluções que às vezes estão à nossa frente e nem percebemos.
Já agora...aluna muito aplicada de tão feliz que estavas a fazer esse curso... e mais dicas que tenhas trazido desse lugar?
Mil beijinhos minha querida, e mil beijinhos para todos. Isabel Mota
De Ana Patrício a 14 de Maio de 2010 às 21:55
Gostei imenso deste post e concordo consigo, embora eu não tenha iniciativa nenhuma. Gosto muito do blogue, sinto que me "desintoxica" de tudo o que leio na internet. A sua escrita consegue transportar-nos para outros lugares, acho isso maravilhoso. Obrigada
De Tiago Casaleiro a 16 de Maio de 2010 às 18:52
Gostava de agradecer a duas pessoas: à Laurinda e à Isabel Mota.
Isabel permita-me que realce estas suas palavras "E penso que tantas vezes é nos momentos difícieis, que a vida nos dá oportunidade de sermos melhores para nós mesmos". Não comento porque a frase diz tudo! Obrigado pela sabedoria sempre presente nas suas palavras.
Laurinda, as suas palavras transmitem esperança. Escrevi hoje um post em http://atravesdajanela.wordpress.com
Falei do esmorecer do nosso povo. Ainda bem que surgem pessoas que nos estimulam e nos incitam a algo mais, a algo superior.

Repito a pergunta da Isabel: e que mais e que mais trouxe do INSEAD?

Abraceijos
De Graça Nogueira a 17 de Maio de 2010 às 13:50
Como lida bem com as coisas menos boas...
O desemprego assusta-me. O meu filho diz que lhe faz impressão se a mãe não trabalha... e a mãe sofre imenso com o trabalho que tem, sobretudo o ambiente em que ele decorre. Apetece tanto mudar de vida e está tudo tão complicado que até parece desumano queixarmo-nos. A impunidade de uns e o sofrimento de outros, será sempre assim?...
Com profunda admiração e amizade secretas de há anos

Comentar post

.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds