Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008
A vida no Palácio do Papel

 

No Largo do Calhariz, antes de descer para o Camões e logo

a seguir ao elevador da Bica, há uma pequena loja irresistível.

Um espaço estreito e comprido onde se vendem cadernos e

lápis, canetas e agendas, folhas de cartolina, papel de lustro

e um mundo de coisas fascinantes que existe numa papelaria.

 

 

Embora a loja não tenha toldo nem nome escrito à entrada,

chama-se Palácio do Papel e pertence a uma família. A mim

dá-me imenso gosto ir ali comprar os meus cadernos pretos,

as minhas Moleskines e lapiseiras, as caixas de minas e os

cadernos de capa azul, de marca nacional, que o Paul Auster

encomenda directamente de Lisboa para os apontamentos.

Ao balcão está sempre a Sandra Bordalo, sorridente a acolher

os que chegam e, por vezes, só querem um afia-lápis. Ou nada.

Sempre bem-disposta, trata-nos como se fossemos família e

é por isso que nunca falta clientela neste Palácio de Papel onde

não só nos sentimos em casa como somos tratados com nobreza.

 

 

publicado por Laurinda Alves às 09:50
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De Augusto Küttner de Magalhães a 10 de Dezembro de 2008 às 10:14
A Laurinda descobre uns locais interessantissimos - e ainda bem que nos fala sobre os mesmos! E o Paul Auster, também tal como a Laurinda, encomenda/compra aí o seu material, por certo agora quando aqui esteve, levou um carregamento.
De Ana a 10 de Dezembro de 2008 às 11:11
Essa Papelaria deve ser bem antiga, já deve ser única, parece que tem material personalizado, à medida das necessidades de cada um, não sendo obrigado a comprar uma caixa de canetas qundo so quer uma.

Deve encontrar aí verdadeiras reliquias:)

Visite o meu cantinho .

Obrigada
De Joana Freudenthal a 10 de Dezembro de 2008 às 13:21
Desde pequena que me fascinam as papelarias com as cores arrumadas em degrade. Verdadeiros palácios, sim.
Vou ter de fazer uma «peregrinação» ap Palácio de Papel.
Beijinhos.
Joana
De Vera Baeta Lima a 10 de Dezembro de 2008 às 21:03
Bem, eu não escapo à regra dos anteriores comentadores. Papel, canetas e lápis são a minha maior perdição logo a seguir aos Livros. Como se não bastasse esta "panca" tenho uma filha a estudar artes, o que me faz conhecer papelarias que são a verdadeira perdição. Tivesse eu mais €s e seria a verdadeira mulher perdida...entre livros amontoados, cadernos escrevinhados e canetas e lápis de todas as cores e tamanhos!
Bjs
De Espiral a 10 de Dezembro de 2008 às 22:32
Descobri essa papelaria há cerca de um mês. Adorei e já comprei lá até prendas para oferecer, a quem gosta de escrever.
E realmente também gostei do ambiente e do acolhimento =)

Beijos
De Carina a 11 de Dezembro de 2008 às 15:38
Ali ao fundo vê-se o meus blocos e agendas favoritos, os da Paper Blanks :-)
Eu passaria com todo o prazer uma horita do meu dia nesse Palácio do Papel...

Comentar post

.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds