Sábado, 11 de Outubro de 2008
Adão e Eva, segundo Roberto Benigni

 

Termina hoje em Roma a maratona de leitura da Bíblia que começou no domingo passado. Foi um exercício de leitura mas, acima de tudo, um exercício de escuta. E um tempo de poesia e eternidade, como escreveu António Marujo no Público.

Entre todos os famosos e anónimos que leram partes dos Evangelhos, houve um que marcou especialmente este tempo. Muitos já o viram e ouviram nesta semana no YouTube e eu não fui excepção. E é porque o vi e ouvi que não resisto a trazê-lo para o blog. Adoro o estilo dele e adoro ouvi-lo ler a descendência de Adão e Eva com sotaque florentino. Muito bom.  

 

publicado por Laurinda Alves às 19:18
link do post | comentar | favorito
14 comentários:
De CC a 11 de Outubro de 2008 às 21:09
Tão bom a ler a Biblia quanto a fingir que joga um jogo de guerra para que o filho não se aperceba e não se assuste com a realidade.
De Laurinda Alves a 13 de Outubro de 2008 às 14:41
Pode crer. Também acho. Adoro este homem e nunca me esqueço de outro momento alto: a entrega dos Óscares. Viu? A maneira como ele chegou ao palco, a alegria, a exuberância de gestos e de palavras...muito bom. Há pessoas assim, a quem basta serem iguais a si próprias para serem uma luz no mundo.
De isabelqueirozdemelo a 11 de Outubro de 2008 às 21:48
A proposito de Biblia e lembrando "A Vida é Bela" de Benigni lembro uma entrevista que li de Antonio Lobo Antunes quando teve um cancro em que diz "...agora depois de ver as pessoas lutarem no hospital, senti que muitos pensamentos que tinha eram indignos perante tanta grandeza... Existe um velho provérbio húngaro que diz que na cova do lobo não há ateus, por isso julgo que não existe quem não acredite. O nada não existe na física ou na biologia e quando se lêem os grandes físicos entende-se como eram homens profundamente crentes, que chegaram a Deus através da física e da matemática e que falavam de Deus de uma maneira fascinante. A minha relação é a de um espírito naturalmente religioso, cada vez mais, não no sentido desta ou daquela igreja mas porque me parece que a ideia de Deus é óbvia. Cada vez mais o é para mim ... Sto. Ambrósio dizia não busco compreender para crer, creio para compreender".
Dá para pensar... tal como o filme é também profundamente inspirador. Um Domingo com sabor a festa ... porque estar vivo é para festejar !
De Zilda Cardoso a 13 de Outubro de 2008 às 09:00
A minha relação com Deus vai um pouco na linha da do Lobo Antunes: não é uma ligação a esta ou àquela igreja, mas é a aceitação de que a ideia de Deus é obvia no sentido de que há um mistério que não temos inteligência para decifrar.
De Laurinda Alves a 13 de Outubro de 2008 às 14:45
Isabel concordo inteiramente e já vi grandes ateus pasmarem de espanto em pleno deserto ou no alto mar ou, ainda, a observar as estrelas numa noite de Verão...Todos procuramos o sentido da vida e todos temos momentos em que nos sentimos tocados por alguma coisa ou alguém que nos transcende. Acredito nisto. Depois cada um percorre o seu caminho e é marcado pelo seu mistério.
De Augusto Küttner de Magalhães a 15 de Outubro de 2008 às 10:23
Apesar de ter algumas, bastantes dúvidas quanto a ser crente, acho muito interessante a forma como aqui expõe estes seus pensamentos, até com alguma influência do que o António Lobo Antunes nos tem contado depois de ter sobrevivido a um cancro do intestino, Se o acompanharmos quer nas suas Crónicas quinzenais, quer nas entrevistas que tem dado pós.recuperação da doença, vemos alguém que viu o lado de lá e voltou a acreditar...
De Susana a 12 de Outubro de 2008 às 15:35
Já vim aqui ontem à noite e hoje novamente ouvir este texto. É fantástico como ele consegue dar vida e interesse a um texto que à partida até é um pouco maçador. Nunca mais vou ouvir esta passagem sem me lembrar da expressividade que Roberto lhe dá. Existem mais passagens desta Maratona com este fascínio? Será que a Laurinda poderia nos indicar os links ou colocá-los no blog? Obrigada,
De Laurinda Alves a 13 de Outubro de 2008 às 14:47
Susana, tem toda a razão esta passagem pode ser muito maçadora até pela terminologia dos nomes bíblicos do Antigo Testamento. Aquilo que podia ser apenas um enunciado estranho de nomes estranhos torna-se com Benigni , numa história fascinante de descendências e gerações. Muito bom.
De M.L a 12 de Outubro de 2008 às 15:36
Não resisti em passar para o meu blog o este video fantástico... incrivel, incrivel!
De Laurinda Alves a 13 de Outubro de 2008 às 14:49
Fizemos o mesmo, portanto. Vou ver o seu blog!
De mariam a 13 de Outubro de 2008 às 01:00
gostei! (embora me tivessem "escapado" algumas partes!)

Agora lida, à tempos reescrita...

sorrisos :)
De Laurinda Alves a 13 de Outubro de 2008 às 14:50
Mariam , a mim escapou-me qualquer coisa na sua mensagem... reescrita como? Não se dê ao trabalho de explicar se não quiser mas fiquei curiosa. :)
De Zilda Cardoso a 13 de Outubro de 2008 às 08:51
Que voz maravilhosa! Mesmo sem entender bem a língua, ouve-se com prazer a sua voz, as suas palavras. Que bem, que bem! O ritmo, o som, o vago sorriso, o gesto comedido, o carinho para toda a gente...
Muito obrigada.
De Laurinda Alves a 13 de Outubro de 2008 às 14:52
Este homem é um génio. Acho a sua naturalidade e a sua alegria geniais, quero dizer. E muito contagiantes. Este homem é uma luz no mundo! Nem precisamos de falar a mesma língua para o entendermos...

Comentar post

.pesquisar
 
.tags

. todas as tags

.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds