Domingo, 27 de Maio de 2007
Fados Sinfónicos
 
Kátia Guerreiro, a fadista que canta poemas de Vinicius, de Sophia e de Camões, que empresta a voz a letras de António Lobo Antunes, Ary dos Santos e Florbela Espanca e amplia a música de músicos como Bernardo Sassetti, Pedro Jóia e Ney Matogrosso, deu um concerto memorável no domingo passado, na Aula Magna.
Não sou grande apreciadora de fados nem particularmente adepta deste género musical mas a minha relativa ignorância não me impede de reconhecer que uma noite como aquelas só de ‘dez em dez anos’, como disse ao meu lado alguém que tem uma alma verdadeiramente fadista.
Acompanhada pelos seus músicos e, de forma especial, pelos da Orquestra Metropolitana de Lisboa, Kátia Guerreiro atirou com a sua voz vibrante ao alto e arrebatou a imensa plateia presente naquela sala.
Álvaro Cassuto, o maestro, estava igualmente inspirado e parecia muito feliz no seu papel. Cúmplice dos violinos, fazia sorrir os músicos da linha da frente e, por eles sorrirem tão divertidos enquanto tocavam, a festa foi ainda maior.
As letras dos fados que Kátia cantou e voltou a cantar (tantas foram as palmas e os pedidos de bis) comoveram, perturbaram, despertaram memórias e trespassaram corações. No fim do concerto as luzes deviam ter continuado apagadas para podermos entrar sem sobressaltos na noite de lua crescente.
 
publicado por Laurinda Alves às 22:00
link do post | comentar | favorito
.pesquisar
 
.Feitos em Portugal

Feitos em Portugal

.tags

. todas as tags

.portugueses sem fronteiras
.posts recentes

. Fados Sinfónicos

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds