Segunda-feira, 10 de Janeiro de 2011
Conversas com Alberto de Brito em livro

 

Esta fotografia foi tirada pela Isabel Pinto, uma das melhores fotógrafas portuguesas e uma grande amiga que me ficou desde os tempos em que trabalhámos juntas quando eu era directora da Pais & Filhos e, depois, da XIS. Esta é apenas uma de uma longa sequência de onde sairá a capa do livro de conversas que gravei com o pe Alberto de Brito sobre matérias sensíveis para todos nós: os desafios da comunicação inter-pessoal e as questões que estão por detrás dos equívocos e permanentes faltas de sintonia que existem entre quem fala e quem ouve. Esta semana fica marcada por ser a recta final para entregarmos na gráfica todo o material escrito e fotografado. Se tudo correr conforme está previsto o livro sai em Março, se possível logo na primeira quinzena. Fazer este livro com Alberto de Brito era um sonho antigo e, por isso, não posso estar mais entusiasmada nesta fase. Este ano começou com grandes desafios: o livro, a série de programas de TV sobre os Portugueses Sem Fronteiras que há-de ser emitida em breve na RTP 1 e , ainda, um projecto com a Fundação Calouste Gulbenkian na área social, que se enquadra no Programa Entre Gerações e envolve 7 instituições em Portugal e 10 no Reino Unido que trabalham e juntam pessoas de todas as idades. Embora para mim todos estes projectos estejam contidos no tempo, não posso estar mais contente. Vou trabalhar com o Entre Gerações apenas em Portugal, mas a certeza de ficar a conhecer pessoas e lugares onde a humanidade é a marca d'água, por assim dizer, é uma oportunidade fabulosa. Gracias a la vida, como dizia o poeta!

publicado por Laurinda Alves às 10:02
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Domingo, 5 de Dezembro de 2010
Quem se sente compreendido, muda!

 

Falei desta fotografia e deste abraço de Helena Almeida há precisamente uma semana, depois de a ter visto na feira Arte Lisboa. Hoje uso-a para ilustrar aquilo que quero dizer e tem a ver com algumas frases que ficaram a fazer eco em mim após a primeira revisão das provas do livro que estou a escrever com Alberto de Brito, jesuíta especialista em Relações Humanas e Comunicação. Em Novembro gravei em Bruxelas uma série de conversas sobre temas ligados às relações inter-pessoais e agora estamos na fase das revisões. Deixo aqui algumas frases-síntese do pensamento de Alberto de Brito sobre o valor da compreensão. E deixo este abraço em tamanho gigante, a ilustrar esta matéria.

 

. Estou convencido de que a capacidade de compreensão das pessoas faz toda a diferença nas relações humanas

 

. As pessoas ouvem pouco e quem não ouve os outros acaba a falar sozinho

 

. Temos que aprender a ouvir a vários níveis: uma coisa é ouvir com curiosidade e outra é ouvir com interesse. A curiosidade diz respeito às histórias (e fofocas); o interesse é a verdadeira atenção ao outro e cria empatia

 

. A compreensão é a única força de mudança. As pessoas quando se sentem compreendidas, mudam!

 

. Compreender alguém é transmitir-lhe: tu podes ser tu diante de mim. Não precisas de ser outra pessoa para te defenderes de mim.

publicado por Laurinda Alves às 21:51
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
.pesquisar
 
.Feitos em Portugal

Feitos em Portugal

.tags

. todas as tags

.portugueses sem fronteiras
.posts recentes

. Conversas com Alberto de ...

. Quem se sente compreendid...

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds