Domingo, 26 de Dezembro de 2010
Presentes de Natal

 

 

Hoje andava a pesquisar umas imagens da Carminho que gravei em casa em duas alturas diferentes, a primeira a propósito da sua estreia na Casa da Música, no Porto; a segunda para ilustrar uma grande entrevista que fiz para o jornal "i", e dei com estes dois vídeos que volto a publicar aqui, para poderem ouvir a voz da Carminho, que é uma beleza. E a voz e as gargalhadas, que são igualmente inspiradoras. E muito contagiantes. Façam de conta que é mais um presente de Natal...

Neste primeiro vídeo, que fui eu que gravei mas depois foi editado pela equipa multimédia do "i", a Carminho estava a falar da sua experiência no pavilhão de moribundos das Irmãs da Madre Teresa, em Calcutá, onde fez voluntariado. Enquanto fazia massagens e cuidava dos 'mais pobres entre os pobres' (como dizia a própria Madre Teresa), a Carminho cantava-lhes fado e são alguns fragmentos desses fados que podemos ouvir.

No vídeo de baixo, a Carminho tinha regressado há pouco tempo da sua viagem à volta do mundo e ainda estava a dar os primeiros passos da sua carreira.

 

 

 

Sabe sempre bem ouvir a voz da Carminho. Falo por mim, que adoro ouvi-la cantar e acho uma maravilha quando canta à capela. É o caso, nestes dois vídeos.

publicado por Laurinda Alves às 13:32
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Sábado, 25 de Dezembro de 2010
Neste Natal

 

Agora que o Natal está a acabar e restam as fotografias e as memórias de mais um dia bem passado em família, gostava de deixar aqui os 3 tópicos que o pe Vasco Pinto de Magalhães enunciou ontem na Missa do Galo e dão que pensar. Gostei especialmente da formulação teológica sobre o Presépio, pela maneira como actualizou esta mensagem e esta imagem. Eloquente e profundo, como sempre, Vasco Pinto de Magalhães sugeriu que olhássemos para o Presépio como uma ideia de futuro, em vez de o arrumarmos nesse passado de há dois mil anos. A ideia é continuar a fazer caminho para um lugar de verdade, de luz e de paz. Ou seja, ter o Presépio como ponto de partida, mas também de chegada. Nesta lógica e com este sentido, Vasco Pinto de Magalhães deixou três propostas/pedidos:

 

. que a família seja, para nós, um lugar sagrado

. que a verdade e o rigor moral sejam, para todos, uma atitude sagrada

. que o nosso sentido de dever e a nossa humanidade sejam para sempre sagrados

publicado por Laurinda Alves às 23:28
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Sexta-feira, 24 de Dezembro de 2010
Postal de Natal

 

A caixinha de tesouros de Natal do filho de uns amigos meus, onde ele guarda as bolas partidas ou sem pé de arame para pendurar na árvore, e tudo o que sobrou este ano, mais o seu "elepardo" de estimação. Gosto da figura do "elepardo", que é a mistura improvável de um elefante com um leopardo... Bom Natal a todos! Espero sinceramente que apesar de todas as perdas, crises, ausências, dores e sofrimentos, este dia seja vivido o melhor possível por cada um de nós.

publicado por Laurinda Alves às 12:42
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Domingo, 19 de Dezembro de 2010
Presépio com jacarés, hipopótamos e girafas

 

Gosto de criatividade nas decorações de Natal e adoro ver o que as crianças inventam. Os filhos de dois grandes amigos meus encheram o presépio de animais do jardim zoológico e colaram nos vidros das portas dezenas de bichos coloridos: papa-formigas, koalas, jacarés, girafas, hipopótamos, tucanos, pelicanos, enfim tudo o que havia no livro de autocolantes do zoo. No Presépio colocaram um macaco de plástico duro muito feio, grande e grotesco, e quando perguntei o que é que ele estava ali a fazer e esbocei um gesto para lhe pegar, eles gritaram: "Não!!! É o macaco do Presépio! Não pode tirar, porque ele tem um bebé ao colo." Concentrei-me melhor naquela figura sinistra, pousada nas palhinhas, e percebi tudo. Para as crianças de 2 e 3 anos qualquer boneco que tenha um filho-bebé ao colo é digno de altar. Seja.

publicado por Laurinda Alves às 00:20
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sábado, 23 de Outubro de 2010
O Natal começou a aterrar na cidade

 

Na Rua Garrett, no coração do Chiado, começaram os preparativos para o Natal. Esta noite aterrou um batalhão vindo de Espinho, carregado de estruturas que parecem asas de anjos, para começar a montar as luzes de Natal. Esta certeza de que o Natal está à porta faz uma certa impressão. Ainda por cima porque acabo de chegar do Algarve, onde ainda parece fim de Verão... Na fotografia de cima José Domingues, da empresa que este ano monta as luzes nesta zona da cidade, liga os cabos aos mil fios que são precisos para manter as luzes acesas. Perguntei-lhe se o podia fotografar e ele disse que sim. Muito educado, tirou a luva para me cumprimentar, e quando lhe perguntei se este ano as luzes também eram azuis e frias como as do ano passado ele reagiu como se todo este emaranhado fosse criação sua: "Este ano, quando tudo estiver ligado, vai ver que é como o céu!". Percebi o que me queria dizer. Mostrou-me que as luzes são todas púrpura, já foram testadas e são uma beleza. Acredito.

 

 

 

 

publicado por Laurinda Alves às 00:16
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
.pesquisar
 
.Feitos em Portugal

Feitos em Portugal

.tags

. todas as tags

.portugueses sem fronteiras
.posts recentes

. Presentes de Natal

. Neste Natal

. Postal de Natal

. Presépio com jacarés, hip...

. O Natal começou a aterrar...

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds