Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2007
Vulnerabilidade genética
 
Gosto de pessoas simples e eloquentes. Gosto de verdadeiros mestres, quero dizer.
Manuel Sobrinho Simões, Professor de Medicina, Patologista e director do célebre IPATIMUP, disse recentemente numa entrevista à Ser Saúde, revista de ciência e investigação, que um cancro é um clone anormal de nós mesmos e desenvolveu a teoria de forma acessível a leigos. A propósito de saúde e de doença, Sobrinho Simões filosofou e lembrou que “o homem é, antes de mais nada, um ser de fronteiras”. Falou da evolução da espécie humana, da nossa capacidade biológica e da nossa vulnerabilidade genética. Disse que alguns excessos nos estão a matar e explicou coisas importantes sobre certas doenças.
“Os nossos cancros surgem como consequência da interacção entre o nosso estilo de vida e a nossa susceptibilidade genética mas a susceptibilidade genética é muito menos importante do que a influência ambiental”. Eloquente e simples mas muito inquietante.
 
tags:
publicado por Laurinda Alves às 20:00
link do post | comentar | favorito
.pesquisar
 
.Feitos em Portugal

Feitos em Portugal

.tags

. todas as tags

.portugueses sem fronteiras
.posts recentes

. Vulnerabilidade genética

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds