Domingo, 6 de Maio de 2012
Mãe

 

Neste Dia da Mãe, de todas as mães do mundo, deixo o fragmento de um poema de amor de Isabel Monteiro, do seu livro Mãe Sem Fronteiras, que adapto ao amor que sinto pela minha Mãe e transformo numa dedicatória, que também é uma síntese:

 

E vieste

E ficaste

A envolver

A minha vida inteira

publicado por Laurinda Alves às 12:28
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Sábado, 15 de Outubro de 2011
Dias de festa

 

 

Hoje a minha mãe faz 76 anos. Incrível! Continua a sorrir, a amar e a sentir como se fosse uma rapariga nova. Acho que se os anos se contassem a partir da nossa idade interior, ela não teria mais de 30. Aliás, tenho a certeza! Há pouco tempo, na festa de anos das minhas sobrinhas, suas netas, deixou que lhe fizessem todos os penteados possíveis e imaginários, e depois passou modelos com elas, por elas.

 

 

Também servi de modelo e foi uma animação sentir o entusiasmo e a criatividade com que a Luísa se empenhou nos penteados. Hoje é um dia de grande festa na nossa família e apesar de continuar com o braço direito engessado, depois de não sei quantas chatices, complicações e dores, a minha (nossa!) mãe continua com o mesmo sorriso e cheia de forças. 

 

 

Todas as palavras me parecem poucas para dizer o quanto me orgulho de ter uma mãe como a minha mãe. Linda por fora e por dentro. Com ganchos e sem ganchos, com gesso e sem gesso, nas alegrias e tristezas, nos tempos fáceis e difíceis a sua bondade, a sua ternura e a sua abertura de espírito são infinitas. Tudo nela é a imagem acabada daquilo que esperamos de uma boa mãe. De uma mulher que mais do que amar e educar os filhos, os ajuda a crescer e cresce com eles. Obrigada, querida mãe. Muitos parabéns!   

 

publicado por Laurinda Alves às 00:01
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
Segunda-feira, 1 de Agosto de 2011
A geometria da felicidade, a memória das pedras e os gestos

 

 

 

 

 

 

 

Breve filme à saída da catedral de pedra antiga onde casaram a I e o A, dois dos meus melhores amigos. Uma emoção e uma celebração para recordarmos ao longo da vida.

publicado por Laurinda Alves às 01:37
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 11 de Julho de 2011
Até ao entardecer

 

Gosto da luz da tarde reflectida na luz dos objectos e gosto da sombra dos amigos projectada no metal dourado e desenhada na madeira.

 

 

Acima de tudo gosto da companhia dos amigos. E dos dias especiais que passamos juntos. Como ontem, até ao entardecer.

 

 

Gosto de celebrar a vida e de partilhar o essencial. Obrigada, Isabel, por este rio acima-rio abaixo num dia tão especial.

 

publicado por Laurinda Alves às 08:24
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 26 de Maio de 2011
Os jacarandás de Lisboa e a livraria Arquivo, de Leiria

 

O mês dos jacarandás em Lisboa é um poema. Os mantos de pétalas a cobrir ruas e passeios marcam um tempo exaltante mas muito efémero. Ontem fui pela cidade com a Zilda Cardoso, escritora, blogger e minha amiga, ver e fotografar jacarandás. A Zilda mora no Porto e tinha combinado com a Joana Freudenthal darem esta volta por Lisboa. Encontramo-nos as três no CCB ao fim da tarde e lá fomos juntas pelas avenidas do Restelo e ruas de Lisboa à procura das árvores mais floridas.

 

 

 

Acho graça à leveza e alegria da Zilda, a tirar as suas fotografias parada na estrada. Tenho pena que a maior parte dos jacarandás já tenham perdido as flores e estejam menos exuberantes. Na Avenida D.Carlos I, onde as copas das árvores de um lado e de outro se tocam, o espectáculo já não é o mesmo que era na semana passada... 

 

 

Embora umas coisas não tenham nada a ver com as outras, deixo aqui este post sobre a Zilda, os jacarandás e o céu de Lisboa num dia em que vou a Leiria, à livraria Arquivo, onde estarei a partir das 18:30 para falar sobre o livro Ouvir, Falar, Amar. Desta vez e porque o pe Alberto Brito ainda está em Bruxelas, vou sozinha à sessão de conversa e autógrafos.

 

 

 

publicado por Laurinda Alves às 09:51
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Quarta-feira, 6 de Abril de 2011
Jantar-tertúlia esta noite em Lisboa

 

Não resisto a partilhar aqui a alegria do dia em que eu e o pe

Alberto Brito inauguramos um novo ciclo que nos vai fazer 

percorrer novos caminhos juntos. Esta noite estaremos os dois

no primeiro de muitos jantares-tertúlia do Hotel Tivoli, onde

vamos fazer uma espécie de pré-apresentação do nosso livro.

Esta dupla estreia é um acontecimento muito feliz para ambos,

pois permite-nos conhecer e conversar com um círculo mais

próximo de pessoas. É um privilégio sermos nós a inaugurar

estas tertúlias do Tivoli, e vai ser muito bom estarmos juntos

na véspera do lançamento do nosso livro. Como ainda há alguns

lugares disponíveis para o jantar desta noite, deixo aqui o desafio

para o caso de alguém querer e poder ir. Amanhã é o grande dia,

do primeiro de três lançamentos. Como disse, os próximos serão

a 13, no Porto, e a 15, em Braga. No Porto teremos a companhia

do Prof. Manuel Sobrinho Simões, que vai fazer a apresentação

do livro (na Livraria Leitura, no Centro Comercial Cidade), facto

que nos enche de orgulho, alegria e gratidão. Em Braga seremos

apenas nós, na Centésima Página, que é como sabem um espaço

que eu adoro e onde me sinto muito em casa. Maravilha!

 

publicado por Laurinda Alves às 13:58
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 30 de Janeiro de 2011
Outra mulher que admiro

 

Zilda Cardoso, escritora, galerista, blogger e uma amiga muito querida que reencontrei no Porto, na Quinta de Bonjóia, onde fui fazer uma palestra sobre comunicação. Cheguei cedo à Bonjóia, de propósito para ter tempo para conversar com a Zilda, que é uma mulher que admiro profundamente. A multiplicação dos encontros, workshops e exposições de Mulheres de Corpo e Alma foi de tal maneira exuberante e contagiante, que acabámos por ficar com todas as conversas no início (nem sequer a meio!), mas não faz mal porque já combinámos ver-nos em breve. Ainda tentámos encontrar lugares mais ou menos protegidos da confusão, mas mesmo assim não foi possível mantermos uma conversa com princípio, meio e fim. Mas adorei a cumplicidade e as coisas e novidades que de forma atropelada ainda conseguimos contar uma à outra. Obrigada, Zilda, por se ter sentado na primeira fila. É bom ter 'pilares' de confiança na plateia, quando falamos para as pessoas nos auditórios. Também gostei de partilhar consigo e com a sua amiga Cândida um livro tão especial.

 

publicado por Laurinda Alves às 23:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 20 de Janeiro de 2011
Dedico este 1º milhão de visitas no blog aos bebés com T21

 

 

E explico porquê: num dia histórico em que nós, os que nos cruzamos diariamente neste espaço, celebramos o primeiro milhão de visitas, é bom poder associar a festa a uma causa. Escolhi a APPT21 - Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21 - por saber de uma iniciativa feliz que um conjunto de mães e pais tiveram para angariar fundos para esta mesma associação. Trata-se de um leilão de livros lidos que podem ser oferecidos, comprados e vendidos no blog déjà lu e cujo lucro reverte integralmente para a APPT21. Se tiverem bons livros em segunda mão para oferecer, não hesitem. Se quiserem comprar bons livros já lidos, também não! Ah, já agora sugiro aos escritores e a todos aqueles que conhecerem autores a quem possam pedir um livro autografado para o leilão, que não deixem de o fazer pois não há ninguém que não goste de ter um livro autografado pelo próprio escritor. O primeiro livro que comprei com o meu dinheiro e me custou uma fortuna (várias mesadas, quero dizer) foi uma edição especial d'O Meu Pé de Laranja-Lima, com capa dura e um autógrafo feito com caneta de tinta permanente pelo José Mauro de Vasconcelos. Foi o meu primeiro livro autografado e ainda hoje o guardo como um tesouro. Obrigada por contribuirem para esta e outras causas e, acima de tudo, obrigada por fazerem deste blog um espaço tão especial onde o grupo de amigos cresce de dia para dia, mas onde todos nos sentimos em casa. Muito bom.

P.S.: Obrigada à Mariana e ao Francisco, os pais do Vasquinho, por me deixarem publicar a fotografia deste bebé tão querido e tão importante nas nossas vidas.

publicado por Laurinda Alves às 00:02
link do post | comentar | ver comentários (57) | favorito
Segunda-feira, 27 de Dezembro de 2010
Cinquenta e dois anos são uma vida

 

Os nossos pais fazem hoje 52 anos de casados e não podemos estar mais felizes por eles. E por todos nós, que lhes devemos a vida, e que aprendemos com eles todos os dias. Cinquenta e dois anos é uma vida longa para qualquer casamento, especialmente nos dias que correm. Jamais conseguirei traduzir por palavras o orgulho, o amor e a gratidão que sinto pelos meus pais, por terem atravessado tempos fáceis e difíceis sem nunca quebrar, conseguindo sempre fazer das fraquezas, forças. E nunca serei capaz de lhes dizer que é um privilégio sem tamanho ser sua filha. Se hes digo isto sorriem e agradecem, mas acham que não sou imparcial para julgar. Parcial ou imparcial, sei que sou filha de um casal para quem a família é a primeira e a última prioridade. Tiveram 5 filhos e 5 netos (por enquanto) e nunca, nunca os vi indisponíveis para nos acolher, para nos ajudar, para estarem sempre que faz sentido ou precisamos. Mais, a leveza que trazem às nossas vidas impressiona-nos a todos, pois nunca se queixam de nada e tudo é feito com amor e alegria. Graças a Deus estão razoavelmente bem de saúde, são completamente autónomos e  vivem uma vida tranquila. São um verdadeiro exemplo para nós, filhos e netos. Defeitos? Devem ter, claro, mas só me ocorrem sempre as virtudes que encontro neles porque são elas que nos marcam e hoje me enchem de uma ternura que transborda por podermos celebrar todos juntos esta data.

publicado por Laurinda Alves às 09:51
link do post | comentar | ver comentários (23) | favorito
Sábado, 18 de Dezembro de 2010
Parabéns, Catarina querida!

 

Mais uma fotografia tirada pela Mariana Sabido para celebrar hoje o dia de anos da Catarina, minha irmã. Tirando a mãe, nenhuma de nós está extraordinariamente bem, mas não faz mal porque aquilo que hoje celebramos em família é o amor que nos une e esta alegria que a Catarina trouxe e traz às nossas vidas. Esperei 12 anos por ela, e o dia em que nasceu foi um dos mais felizes da minha vida. Sempre quis ter uma irmã, mas ela demorou a chegar. Valeu a pena esperar porque ela é para todos nós muito mais do que um sonho tornado realidade. Com a Catarina eu aprendo muita coisa, mas o que mais me marca na sua personalidade forte é a sua bondade de coração, a generosidade, a tranquilidade, a força, a integridade e a verdade com que revela a alegria e a tristeza. E o seu lado sonhador e eternamente girlish. Conheço muitas pessoas, mas não conheço ninguém como a Catarina e não o digo por ser sua irmã. Digo-o por ela, por ser quem é e como é. Parabéns, Catarina querida!

 

publicado por Laurinda Alves às 12:41
link do post | comentar | ver comentários (23) | favorito
.pesquisar
 
.Feitos em Portugal

Feitos em Portugal

.tags

. todas as tags

.portugueses sem fronteiras
.posts recentes

. Mãe

. Dias de festa

. A geometria da felicidade...

. Até ao entardecer

. Os jacarandás de Lisboa e...

. Jantar-tertúlia esta noit...

. Outra mulher que admiro

. Dedico este 1º milhão de ...

. Cinquenta e dois anos são...

. Parabéns, Catarina querid...

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds