Quinta-feira, 22 de Abril de 2010
Joana Cabral, neurocientista computacional

 

Eis a substância do estudo e trabalho aturado de Joana Cabral: um quadro indecifrável, povoado de fórmulas matemáticas, algoritmos e símbolos inacessíveis a quem não tem uma cabeça científica, nem queda para a Matemática. Joana Cabral está a fazer um doutoramento em Neurociência Computacional e, de uma forma abreviada e muito grosseira, posso dizer que neste momento estuda o funcionamento do cérebro, quando está em repouso.

 

 

De olhos fechados e de costas para o quadro onde ainda ontem escreveu as últimas fórmulas, mas também desenhou uma girafa para que nós hoje encontrassemos ali um símbolo inteligível (gostei do detalhe e do sentido de humor!), Joana Cabral tenta simbolizar um 'cérebro em repouso', numa pose improvisada para o blog, sabendo que eu serei incapaz de traduzir por palavras simples a sua área de estudo.

 

 

A Joana estuda numa faculdade que tem uma ala muito moderna e outra muito clássica, e também ela tem uma vida de fazer inveja. Esta série de programas vai revelar os talentos de 40 portugueses que vivem, estudam e trabalham fora de Portugal, mas também vai mostrar lugares incrivelmente inspiradores onde apetece realmente viver, estudar e trabalhar.

 

 

A tese de mestrado da Joana Cabral é mais uma realidade inatingível para nós, leigos em matéria de neurociências e informática aplicada a estas áreas e, por isso, nem vale a pena enunciar o título que, como se pode ver, tem cinco linhas e é demasiado complexo para resumir. Mais vale escrever umas palavras simples para dizer que a Joana transmite uma alegria fora do comum. A maneira como fala da sua ciência e área de investigação é de tal forma vibrante que se percebe que nasceu para isto.

 

 

Prática e descontraída, a Joana atravessa a cidade com rapidez e desembaraço na sua mota. Fomos a casa dela gravar uma parte da entrevista, mas antes andámos a 'persegui-la' para a filmar nas ruas de Barcelona. A Joana foi mais uma entrevistada de luxo e agora, que já tenho quase trinta entrevistas feitas, posso garantir que este rol de "portugueses no mundo" vai dar que falar.  

 

publicado por Laurinda Alves às 21:58
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
As jóias da Ana Cardim

 

Ana Cardim, joalheira, mostra o 'kit' de uma peça sua que deu origem ao projecto/exposição Garbage Pin, que envolveu 90 artistas plásticos e foi patrocinada pela Associação Klimt02, pela Fundação Gulbenkian, pelo Instituto Camões e pela Direcção Geral das Artes. Esta conjugação extraordinária de patrocínios justifica-se pela qualidade e quantidade de obras e artistas envolvidos. Ana é a autora da peça 'inaugural' e foi a curadora de todo o projecto. O catálogo da exposição é lindo e logo, antes de jantar, vamos filmar à galeria e gravar o resto de uma entrevista que ficou incompleta.

 

 

Começámos o dia à beira-mar, quando a praia ainda estava deserta e a areia cor-de-terra. O sítio escolhido pela Ana não podia ter sido melhor e mais inspirador. Os sítios, aliás: o bar Buenas Migas, depois o teleférico para um dos miradouros mais fabulosos da cidade e, finalmente, os jardins da Fundació Miró. Como estou na pausa do almoço, deixo aqui uma sucessão de imagens desta manhã. Depois, vou a correr para a entrevista da tarde.

 

 

Adorei esta manhã e ouvi com fascínio a Ana Cardim falar do seu percurso artístico e académico. Há imensas coisas que apetece dizer sobre ela e sobre os amigos com quem trabalha, mas agora tenho mesmo que ir. Volto mais à noite.

 

publicado por Laurinda Alves às 12:31
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Último dia em Barcelona

 

Adoro os encontros nesta cidade e gosto do movimento nas ruas. As Ramblas parecem um lugar onde desfila toda a humanidade. Ou quase. Estou em vésperas de ir embora e hoje gravo as duas últimas entrevistas em Barcelona. De manhã com a joalheira Ana Cardim, artista multitalentos que também faz performances e intervenções de rua; à tarde com a Joana Cabral, neurocientista. O dia promete, portanto. Por tanto, quero dizer!Tenho pena de não me ter cruzado aqui com a Reflexos, que também anda pela cidade e a quem desejo óptima estadia em Barcelona.

 

publicado por Laurinda Alves às 07:52
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Quarta-feira, 21 de Abril de 2010
Imagine que este era o deck da sua empresa...

 

E imagine que a vista deste deck de vários andares era o Mediterrâneo ao fundo e uma linha de água que, de certa perspectiva, se confunde com a linha do horizonte, criando uma ilusão de 'infinity pool'...

 

 

Agora imagine que tem 24 anos, toda a vida para viver, um futuro em aberto e uma vontade irreprimível de fazer o que gosta e realizar os seus sonhos... 

 

 

João Curado é o actor principal deste breve mas intenso exercício de imaginação. Quando falo em actor é porque quero sublinhar que alguns aspectos da sua vida davam um filme. Primeiro porque é muito novo, mas já vai muito à frente numa área rara: a Biologia Computacional.

 

 

Depois, porque tem o privilégio de estudar e fazer rigorosamente aquilo de que gosta e, ainda por cima, poder fazê-lo no instituto que escolheu. João Curado está a fazer um doutoramento numa matéria complicadíssima que envolve o DNA e o RNA, e pode ter um alcance porventura imprevisto nos avanços da ciência em áreas delicadas e complexas, que mexem com as questões do Genoma Humano e a possibilidade de explorar novos caminhos para atalhar graves doenças.

  

 

Embora ainda seja muito cedo para tecer grandes elogios a quem agora começa um caminho árduo e, de certa forma, 'menos percorrido', é extraordinário que este rapaz esteja no Centre de Regulacion Genómica a estudar e a trabalhar as matérias de que mais gosta: Biologia e Informática. A mim, fascinam-me os cientistas e investigadores nestas e outras áreas e, daí, a minha vénia a quem aos 24 anos já tem tantas certezas e aproveita as melhores oportunidades, nos melhores lugares.

 

 

Esta fotografia, gráfica e inspiradora, foi tirada pelo Ricardo que é o quarto elemento desta nossa equipa em Barcelona. Em Berlim não tivemos assistente de produção mas aqui voltámos a precisar e o Ricardo foi um achado. Divertido e habituado a viajar pelo mundo, conhece bem esta cidade e tem sido uma excelente ajuda.

 

 

O Ricardo é o que está de blusão encarnado. É muito alegre e está sempre tudo bem para ele, coisa que facilita imenso a relação entre todos, especialmente quando se trata de começar a filmar cedo e acabar tarde. Embora este projecto e estes entrevistados sejam muito inspiradores, chegamos ao fim do dias exaustos. Mas radiantes, claro. O Ricardo, que é um viajante compulsivo, acabou de ganhar uma bolsa de estudo para a Guatemala e em breve vai viver para lá. Há vidas assim.

 

publicado por Laurinda Alves às 18:48
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Hugo Morais Sarmento, biólogo marinho em Barcelona

 

Hugo Morais Sarmento, biólogo marinho, 31 anos, foi o primeiro entrevistado de hoje. Excepcionalmente, em Barcelona estamos a filmar e entrevistar duas pessoas por dia.

 

 

Este é um dos mil e um ângulos possíveis para fotografar e filmar o Instituto de Ciências do Mar, no Passeio Marítimo de Barcelona. O edifício é muito gráfico e luminoso, mas acima de tudo foi estrategicamente construído de frente para o mar. Deve ser um prazer trabalhar aqui.

 

 

Hugo Morais Sarmento que embora tenha um apelido sonante não tem quaisquer laços familiares com os Morais Sarmento mais mediáticos, mostra onde são os laboratórios e a zona de armazém, tanques e aquários. Adorei a visita guiada desta manhã.

 

 

O universo da biologia marinha é um mundo fascinante para leigos como eu. Aqui, o Hugo mostra umas pequenas medusas que estão a ser estudadas neste Instituto. A ideia é reproduzir em cativeiro o seu ciclo de vida completo.

 

 

Uma das responsáveis deste projecto é a italiana Miriam (não fixei o apelido, sorry), que tem um sorriso contagiante e muito eloquente do prazer que lhe dá fazer este trabalho.

 

 

As instalações do Instituto são espectaculares e quase apetece mudar de área e profissão. O arquitecto deste projecto luminoso é um catalão que estava particularmente inspirado. Não sei como se chama mas sei que trabalha para o escritório Riera Gutierrez i Associats.

 

 

Grande parte da entrevista foi gravada no laboratório, ao lado dos microscópios e luzes específicas para fazer este trabalho. Hugo Morais Sarmento também trabalha com microscópios de epifluorescência, mas esses exigem que se trabalhe numa sala completamente às escuras e não dá para filmar nem fotografar. Foi uma manhã extraordinária. À tarde estamos com o João Curado, que está a fazer um doutoramento em Biologia Computacional.

publicado por Laurinda Alves às 15:08
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 20 de Abril de 2010
Amigas

 

Instantâneos de Barcelona, esta tarde.

 

 

publicado por Laurinda Alves às 22:12
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Olhos nos olhos, mãos nas mãos

 

Gaspar e Núria, oitenta e tal anos cada um, casados os dois há muito mais de cinquenta. O tempo é um grande escultor. Encontrei-os assim, tal e qual. Pedi-lhes para tirar uma fotografia e perguntei-lhes o nome. Disseram que sim, riram e perguntaram se o Jaime também podia ficar. Claro que sim.

 

publicado por Laurinda Alves às 21:25
link do post | comentar | favorito
Contrastes no centro de Barcelona

 

Galinhas à procura da sombra do muro, perto de uma das grandes avenidas de Barcelona. Este lugar podia ser o cenário de um filme de Kusturica. Trata-se de um acampamento meio-cigano colado às traseiras de prédios altos, com barracões antigos transformados em lofts contemporâneos onde funcionam empresas que gostam de espaços alternativos. Falo da RCR films, onde estivémos a gravar esta manhã. As galinhas pertencem às casas da frente e dão um movimento, um cheiro e um colorido muito particulares a todo o espaço circundante. 

 

publicado por Laurinda Alves às 21:22
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Na praia com Frederico Amaral, actor e realizador

 

Fomos à praia entrevistar o Frederico Amaral, actor e realizador natural de S.Miguel, nos Açores. A manhã estava de sonho e esta beira-mar de Barcelona é irresistível.

 

 

Depois de meia hora de conversa gravada deixámos a praia para ir à agência de publicidade onde o Frederico está a fazer um estágio profissional. O spot desta agência é muito cinematográfico e, de certa forma, parecido com a nossa Garage.

 

 

A RCR films é uma das agências mais premiadas de Espanha, e em matéria de prémios podemos dizer que também há muitas semelhanças com a nossa Garage e os seus profissionais, que em Portugal são conhecidos por serem os 'reis do intervalo'. A RCR films também faz publicidade, acima de tudo.

 

 

Aqui fica uma sequência de imagens do nosso plateau desta manhã, muito eloquentes da onda das filmagens, mas também da alegria e cumplicidade que existem nesta equipa. No fim, uma 'fotografia de família' do dream team!O Paulo Segadães não resiste à sua pose...

 

 

 

 

publicado por Laurinda Alves às 13:12
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Segunda-feira, 19 de Abril de 2010
Barcelona à chegada

 

Aterrar em Barcelona de manhã foi uma dupla emoção: por um lado por ter sido possível chegar de avião; por outro, porque adoro esta cidade e este mar.  

 

 

Fomos directos para os escitórios de advogados Garrigues, a melhor firma de advogados de Espanha onde João Miranda de Sousa trabalha como especialista em direitos de autor.

 

 

João Miranda de Sousa vem quase todas as semanas a Barcelona, mas mora em Madrid. Como o seu escritório também é em Madrid e aqui usa a sala de reuniões para trabalhar, acabámos por gravar a entrevista no escritório de Fernando Rey, seu colega na Garrigues. 

 

 

O trabalho de um advogado especializado em direitos de autor passa por uma série de reuniões, longas horas de estudo e actualização jurídica e muitas, muitas viagens pelo mundo inteiro. Apanhá-lo em Barcelona para esta entrevista foi um cúmulo de sortes e timings.

 

 

Parte da entrevista foi, depois, gravada numa casa de campo com vista sobre Barcelona, na encosta mais alta onde sobe um funicular que leva e traz as pessoas para o centro da cidade. Esta casa pertence a um casal de amigos de João Miranda de Sousa e serviu de cenário para as perguntas sobre as escolhas pessoais e familiares do entrevistado. Foi bom perceber que os critérios e a motivação de João Miranda de Sousa assentam no bem-estar da sua família e não apenas no sucesso da sua carreira. Casado com uma espanhola, tem quatro filhos e vivem em Madrid. Daí, termos precisado desta casa para as filmagens fora do ambiente profissional. 

 

 

Como sempre não posso tecer aqui grandes considerações sobre a substância da entrevista mas posso dizer que foi uma conversa muito alegre e demorada sobre um percurso profissional e pessoal excepcional.  Os direitos de autor também são uma área jurídica radicalmente importante nos dias que correm e, nesta lógica, a conversa prolongou-se muito para além do tempo reservado à gravação. É bom conhecer os melhores entre os melhores, seja em que área for.

publicado por Laurinda Alves às 23:55
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
.pesquisar
 
.Feitos em Portugal

Feitos em Portugal

.tags

. todas as tags

.portugueses sem fronteiras
.posts recentes

. Joana Cabral, neurocienti...

. As jóias da Ana Cardim

. Último dia em Barcelona

. Imagine que este era o de...

. Hugo Morais Sarmento, bió...

. Amigas

. Olhos nos olhos, mãos nas...

. Contrastes no centro de B...

. Na praia com Frederico Am...

. Barcelona à chegada

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds