Quinta-feira, 4 de Abril de 2013
Faz hoje 33 anos!

 

Comecei a trabalhar como jornalista na RTP há precisamente 33 anos. Entrei no dia 4.4.80 e todos os anos esta data me recorda um episódio inaugural, que se passou uns meses antes e marcou a minha vida profissional: candidatei-me à RTP quando entrei para a Faculdade porque li um anúncio no Expresso e achei graça responder, mas como faço anos em Dezembro andei sempre um ano adiantada e cheguei à Universidade com 17 anos. Ou seja, tinha 17 anos quando também fui admitida para um concurso já na altura muito disputado, entre centenas de candidatos. Depois de uma série de provas consegui ficar em 2º lugar ex-aequo com outro candidato, e no fim da entrevista que decidia tudo (e era feita por um júri solene e de certa forma intimidatório de 5 pessoas graves e sérias) fez-se silêncio e um dos elementos, que já morreu, disse:

 

- Muitos parabéns, ficou muito bem classificada e gostamos muito de si, mas como tem apenas 17 anos e a RTP é uma Empresa Pública não a podemos contratar.

 

Novo silêncio, mais demorado e interrogativo, comigo a tentar decifrar rapidamente o que tinha acabado de ouvir e não me fazia sentido nenhum. Se sabiam que não me podiam contratar, porque é que me deixaram chegar ao fim das provas e no fim fazer a entrevista? E eis que passado o suspense, o mesmo elemento júri avança para mim e declara:

 

- Muitos parabéns. Não a podemos contratar agora, mas como realmente gostamos de si, vamos esperar que faça 18 anos.

 

E assim foi. Estavamos no fim de 1979 e passados 6 meses entrei para a RTP, já com 18 anos feitos.

 

Este episódio ficou para sempre gravado na minha memória por todas as razões e mais algumas, mas acima de tudo pela confiança que depositaram em mim e pela gratidão que ainda hoje sinto por aquelas pessoas que mesmo sem me conhecerem e sem eu ter dado mais provas do que as que dei, apostaram em mim e ajudaram-me a traçar o meu futuro profissional. Hoje, passados 33 anos, olho para trás, volto ao momento da entrevista, e espero sinceramente ter estado à altura desta confiança.

 

P.S.: Esta fotografia foi tirada uns anos mais tarde, quando o Emídio Rangel me desafiou para inaugurar a moda das reportagens em directo para a TSF, feitas com jornalistas que atravessavam a cidade de mota. De manhã era eu e de tarde era o José Manuel Mestre. Bons tempos.

publicado por Laurinda Alves às 00:36
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Um Jeito Manso a 4 de Abril de 2013 às 01:27
Lembro-me de si, nessa altura. Uma novidade. Era diferente das restantes.

Tive pena que tivesse saído, nunca soube porque o fez.~

Mas já passou tanto tempo...? Sério...?

(Por si parece que não passou, não se assuste com o meu espanto...)

Parabéns, de qualquer maneira. Espero que tenham sido 33 anos muito bons apesar de todas as mudanças pelas quais passou.
De Anónimo a 5 de Abril de 2013 às 22:19
Muitos Parabéns a uma grande jornalista e a uma grande pessoa!
Se fosse eu que mandasse nomeava-a directora da RTP! Aí a progamação seria outra e a sociedade iria melhorar!
Muita Força e ânimo para o futuro!

Um abraço

Rosário
De an a 6 de Abril de 2013 às 11:15
Parabéns, desde este dia, até hoje...
Aquele júri era formado por pessoas inteligentes mesmo.
Felicidades sempre.
De Arlindo Andrade a 10 de Abril de 2013 às 00:16
Querida Laurinda,

Felizmente já estou de volta ao seu blog. Que bom estar de novo nesse cantinho que tanta inspiração me traz!

Obrigado e, parabéns pelo seu percurso. Muito fascinante!

Beijinhos,
Arlindo



Comentar post

.pesquisar
 
.Feitos em Portugal

Feitos em Portugal

.tags

. todas as tags

.portugueses sem fronteiras
.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds