Quarta-feira, 19 de Outubro de 2011
Convocação nacional ... ao trabalho!

 

Sou pelo direito à greve e por outros direitos fundamentais, mas nestes tempos de crise global e neste momento tão particular que o país atravessa defendo o dever de trabalharmos, de contribuirmos e de construirmos muito mais e muito melhor. Chocam-me algumas medidas, em especial aquelas que continuam a proteger os mais ricos e a desproteger os mais pobres. Também me repugnam as reformas vitalícias de milhares de euros de alguns políticos precisamente por terem sido eles a tomar decisões que contribuiram para enterrar o país (e falo de políticos de todo o espectro partidário, notem!), mas sinto que não é tempo de fazer greve, muito pelo contrário! Todos não somos demais para evitar que este país afunde. Por tudo isto, enquanto alguns apelam à greve geral eu aposto na convocação nacional ao trabalho.  

nota: importei esta fotografia de Paul Keleher da sua galeria no flickr

publicado por Laurinda Alves às 14:01
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De mafalda a 19 de Outubro de 2011 às 16:46
Subscrevo inteiramente Laurinda. Obrigada pela força.
mafalda
De Clarisse a 19 de Outubro de 2011 às 16:48
Tal como eu, a Laurinda é pelo direito à greve, e, certamente, pelo direito à livre expressão das ideias.

Se as razões do seu descontentamento não a motivam a usar esse direito, o que eu lhe pergunto, é em que circunstâncias acha que se deve fazer greve?

Leia-se, e releia-se o teu falacioso texto, ele é mais um dos motivos pelos quais os cidadãos se manifestarão expressando o seu descontentamento e nojo.

Nem são palavras minhas, mas de D. Manuel Martins.

Clarisse Fernandes

De Margarida a 19 de Outubro de 2011 às 17:09
Subscrevo!
De Maria João de Ornelas Monteiro a 19 de Outubro de 2011 às 22:36
Também concordo. E confesso que me faz um bocadinho de confusão que, numa altura difícil como esta (que o é para a maioria de nós), o Presidente da República expresse publicamente opiniões que, embora inteiramente legítimas, não contribuam para este espírito de união de que hoje precisamos. Pelo país, pela Comunidade, por cada um de nós, mõs à obra! Tinha que ser assim? Não sei. Choca? Sim. A falta de união ajuda? Não.
Um abraço,
Maria João
De inês a 19 de Outubro de 2011 às 23:12
Eu acho que estamos à beira do precipício e trabalhar ou não já pouco adianta. Tal como fazer ou não greve. Sinto uma grande tristeza pelo que os responsáveis políticos fizeram ao País e revolta-me profundamente a sua impunidade. Neste momento a única solução que vejo é sair de cá, porque o fosso é excessivamente fundo para de lá conseguirmos sair nas próximas décadas e até lá a vida passa. Não vou fazer greve por falta de fé nas greves e não por convicção de que o trabalho que eu faça adiante alguma coisa. E não lhes dou o direito de me roubarem mais um dia de vencimento.
De Cristina Duarte a 19 de Outubro de 2011 às 23:13
Olá Laurinda,

No contexto em que vivemos com uma crise tão profunda a nível nacional / mundial há o direito à greve. Mas neste momento quem ainda tem trabalho tem é o dever de trabalhar mais e melhor!

O apelo à greve só agrava a situação! Precisamos de ser proactivos e pensar que o país necessita do contributo de todos nós.
É claro que os políticos foram os maiores culpados desta situação. Mas os economistas? E o cidadão porque nunca foi capaz de exigir como deve ser a transparência das contas?

Agora temos de produzir mais e sermos exigentes.
Ajudar quem mais necessita.
Aprendam a poupar e nada de greves.

Um abraço!
Cristina Duarte

De ann a 19 de Outubro de 2011 às 23:25
Penso que todos têm razão...; mas neste momento Portugal, devido a tantas asneiras e tanta desorientação, se começarmos com greves, então é que não temos mesmo nada, de nosso. Não temos nada onde nos agarrarmos, vamos de "prego ao fundo"!!
Tem de haver uma força moral colectiva, uma solidariedade conjunta, uma grande força de trabalho...- dado que, valores materiais, já se sabe, e todos sabem, que não temos...
Quem tem culpas? Todos.... Quem governou mal, mas também quem votou neles. Depois, agora, o caos pela Europa fora , por todo lado .
Greves agora não!!!
De Helena a 20 de Outubro de 2011 às 09:42
Olá Laurinda!
Subscrevo por inteiro o seu texto.
A greve não vai ajudar em nada o momento que atravessamos, mas todos têm o direito a fazer, no meu caso como trabalho por conta própria e como só ganho consoante o que produzo, neste momento sou feliz e dou graças a Deus se tiver trabalho e consiga que o mesmo seja paga atempadamente para fazer face ás minhas despezas, e se para isso tiver de trabalhar nos fins de semana e feriados faço-o com muito orgulho e não com espirito de sacrificio, e note-se que neste momento todo o trabalho é pago por um valor muito inferior do que à uns dois anos atrás.
Temos de ter fé que estamos a viver um momento mau, e que o futuro há-de ser melhor.
Cumprimentos
De Paulo Ribeiro a 20 de Outubro de 2011 às 17:09
Muito Bem!!!!

Comentar post

.pesquisar
 
.Feitos em Portugal

Feitos em Portugal

.tags

. todas as tags

.portugueses sem fronteiras
.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds