Segunda-feira, 17 de Outubro de 2011
Outros portugueses com garra, iniciativa e força para lutar!

 

 

Mais uma semana a gravar entrevistas com pessoas que não baixam os braços perante as dificuldades. Todos os meus entrevistados desta série têm em comum essa capacidade de fazer das fraquezas, forças, e encontrar em si motivação para seguir em frente. Na fotografia de cima preparo-me para entrevistar o Jorge Venceslau, que criou uma nova atitude na prevenção e combate às dependências. Na foto de baixo estou com a Isabel Pinto, fotógrafa, que está envolvida num projecto global sobre o qual nada posso dizer por enquanto, mas contribui para renovar o ânimo dos portugueses.

 

 

O Francisco e a Maria são um casal cheio de ideias que mudam o mundo nas suas áreas de especialidade e também eles deram (e dão!) um testemunho incrivelmente contagiante. Numa época de tanta crise, em que nenhum de nós escapa ao sofrimento, e em que todos somos obrigados a trabalhar mais, a contribuir mais, e a ganhar muito menos, temos que seguir os exemplos de quem se recusa a desistir nem se deixa vencer. Há uma frase do poeta Khalil Gibran que passo a vida a citar (e a recordar mentalmente) que nos devia interpelar a todos neste momento em que somos chamados a tantos sacrifícios: "não perguntes à vida o que ela te pode dar; pergunta a ti próprio o que podes dar à vida!". Para mim esta é a única atitude que nos permite atravessar desertos e oceanos no meio das tempestades. Vivo sem subsídios de férias e Natal há quase 5 anos; não tenho carro há quase 3 e mudei substancialmente de vida nos últimos anos, e por tudo isto sei dar valor e sei o que é estar em comunhão com os que sofrem ou sentem que o seu mundo está a desmoronar. A minha experiência é a de que há e haverá sempre mais caminhos do que aqueles que a vista alcança. O segredo é confiar e trabalhar, trabalhar, trabalhar. Tentar sempre fazer mais e melhor e nunca desistir!

 

publicado por Laurinda Alves às 00:39
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De João Nuno a 17 de Outubro de 2011 às 03:01
Querida Laurinda, deixo-lhe este vídeo...para que tenha uma semana ainda mais feliz!

http://www.youtube.com/watch?v=Byj5R0DB4Bg&feature=share

beijinhos
De JoanaBFS a 17 de Outubro de 2011 às 08:02
ao mostrar a fora e o espírito positivo e empreendedor dos portugueses estão a ajudar positivamente a ultrapassar umas das épocas mais difíceis para tantos. obrigado
De Helena a 17 de Outubro de 2011 às 10:41
Olá Laurinda!
Num momento em que andamos todos tão desmoralizados com o nosso presente e apreensivos com o futuro as suas palavras são de uma riqueza inquestionável.
Também eu vivo sem subsidios, mas neste momento a falta de trabalho é o meu maior medo, já é muito reduzido mas se acaba ... por isso temos de levantar os braços e ter sempre novas ideias e deixarmos as lamúrias de lado - não sabemos é até quando aguentamos.

Boa semana!
De Cristina Curto a 17 de Outubro de 2011 às 11:25
Como funcionária pública (existem muitas realidades na função pública...) agradeço as palavras de incentivo e de coragem. Foi sempre um exemplo para mim, Laurinda. Obrigada!
De Anónimo a 17 de Outubro de 2011 às 11:27
Embora não a conheça pessoalmente, do que leio e ouço a ideia que tenho é que é uma pessoa genuína e que se compromete, com chama, como as crianças, no bom sentido, com poucos filtros. Há muita gente que não se compromete com nada, nunca expressa uma opinião, ou seja em termos de cidadania, zero. Estas pessoas nunca erram, pois só quem faz alguma coisa é que erra. Contudo muitas vezes são os primeiros a criticar.

Na maioria doas caso as nossas opiniões coincidem. Pontualmente não. Estou de acordo no essencial com este post , até porque não há alternativa aos sacrifícios que nos estão a pedir, a alternativa era o default e aí era o caos, pois não havia dinheiro para nada. Quem protesta, não é quem está mais necessitado, é quem já está incluído , o problema são os excluídos , nomeadamente os desempregados, pois ninguém os defende, nomeadamente os sindicatos.

Por outro lado fico enojado, desculpe o termo, com alguns jornalistas, pois no dia em que foram anunciadas as medidas, já estavam a acender o rastilho das manifestações de protesto.
De ann a 17 de Outubro de 2011 às 23:36
É bom, nesta época tão difícil para todos, haver esta união , afim de serem aproveitadas todas as novas iniciativas, por mais simplórias que nos pareçam. Todas as idéias inovadoras serão úteis e benvindas...será assim que nos podemos ajudar uns aos outros
De Ana Santos a 18 de Outubro de 2011 às 14:29
Querida Laurinda, tive uma Mãe extraordinária que me ensinou a 'arte da escutatória' e... a idade avança e a vida muda (a minha mudou e muito) ouvi e registei: -" Temos de 'ir à luta' com determinação, abraçar a vida com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida 'é muito' para ser 'insignificante'." Agradecida por todos os bons momentos que proporciona à minha vida, abraço apertado para si, beijóca gigante ao Martim e continuação das melhoras da Mãe, Ana
De Maria Helena a 18 de Outubro de 2011 às 19:18
A Laurinda nem sonha a força que as suas palavras me deram. Obrigada, muito obrigada!
De Laurinda Alves a 19 de Outubro de 2011 às 14:27
Obrigada, eu, Maria Helena. Muito obrigada! Um abraço especial, cheio de força para ter e dar forças :)

Comentar post

.pesquisar
 
.Feitos em Portugal

Feitos em Portugal

.tags

. todas as tags

.portugueses sem fronteiras
.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds