Terça-feira, 15 de Março de 2011
Está a ser muito difícil acreditar, senhor Primeiro-Ministro!

publicado por Laurinda Alves às 00:02
link do post | comentar | favorito
10 comentários:
De Cristina Duarte a 15 de Março de 2011 às 08:10
Olá Laurinda,

Na minha singela opinião o Governo está a destruir os sonhos dos jovens e a penalizar os mais idosos sem complacência.
Eu e o meu marido trabalhamos mas quero salientar que tem sido difícil ver tanta miséria por este país.
Vivemos perto de Lisboa e a nossa filha desde os 9 meses até aos 3 anos frequentou um Colégio particular.
Por motivos económicos e por acharmos que a política deste Governo seria uma aposta na educação, resolvemos mudar a nossa filha para uma escola pública com ATL privado.
Agora pagamos menos mas a nossa frustração é enorme!
A nossa filha de apenas 4 anos tem uma educadora com 24 crianças sem auxiliar.
A escola pública foi inaugurada apenas com cadeiras e mesas.
Choca-me como Mãe porque conheço a realidade de outros países europeus e considero um atentado à educação quando inadequadamente o Governo diz que inaugurou não sei quantas escolas...

Quanto ao material didático são os pais que munem a escola de livros ou jogos. E todas as semanas lavamos água potável bem como vários pacotes de bolachas para todos os meninos.
Para além do material solicitado no início do ano lectivo ainda temos com frequência de levar coisas porque a escola não tem nada.
A alimentação como é um acordo com a Câmara e algumas crianças carenciadas não pagam os almoços tem sido um problema.
A educadora diz maravilhas a nível cognitivo da nossa filha. A língua materna e matemática muito bom.

Mas perante este cenário em que a minha filha pede-me para a levar para o emprego porque não gosta da escola. Nós como pais, atentos a tudo o se está a passar vamos efetivamente fazer mais sacrifícios mas acabamos de a inscrever no anterior Colégio privado com uma elevada mensalidades mas com
ensino pedagógico de qualidade.
Estamos cansados deste farsa de ensino público onde faltam educadoras, pessoal não docente não é colocado por falta de verbas.
E grave: a nível de higiene não há sabonete e as crianças quando vão ao WC limpam as mãos à roupa.
É esta a triste realidade que nos indigna.
A inauguração de escolas públicas é uma farsa.
Não por uma questão de elitismo mas a educação começa desde os primeiros anos de vida. E com os pais em consonância com a escola.

Aguardo a saída do livro da Laurinda para rapidamente o comprar.
Continuação do seu excelente trabalho e contributo para a sociedade.

Já que falamos de política só mais um pormenor: votei no MEP.
E disse-o algures no mês de julho de 2009 neste espaço.

Um abraço,
Cristina Duarte
De Henrique Joaquim a 15 de Março de 2011 às 09:55
Sinceramente eu já não acredito porque de cada vez que nos dizem que está tudo bem a consequência é a apresentação de medidas mais austeras. Estas em concreto são acima de tudo indignas porque atingem milhares de pessoas Idosas a viver com imensas dificuldades. Como eu gostaria de ver milhares de idosos a manifestar-se!
De micaela vieira a 15 de Março de 2011 às 10:51
A factura da união Europeia está mesmo aí, e não podemos fugir, isso é ponto assente, sempre foi.
a falta de orientação , informação e organização, os roubos que se fizeram...agora chegou a hora de pagar...a entrada de portugal na cee...sim senhor, mas o problema é esse mesmo, quem roubou, quem tirou para seu próprio proveito é que devia pagar esta divida, e não o povo que trabalha, assume as suas responsabilidades, e paga os seus impostos. que justiça é esta? pois Sr.Primeiro Ministro era bom que fosse directamente aos seus ministerios,empresas do estado , até mesmo contas bancarias de gestores buscar esse dinheiro. Este discurso não convenceu. alias é a continuação de uma grande encenação...até quando?! O povo tá farto de tantos PECS vergonhosos, faltará muito para que os n/ patrões façam transferencia dos n/ salários inteiros para o cofre do estado? e comermos pedras e terra e vivermos em barracas?
De mafalda a 15 de Março de 2011 às 11:56
Difícil de acreditar e difícil não desanimar.
mafalda
De eutambémtransmontana a 15 de Março de 2011 às 12:19
Claro que já ninguém (ou muito poucos) acreditam. Mas o grande problema é saber em quem acreditar. Não foram todos iguais...Não estão a ser todos iguais!
Que grande tristeza é este País neste momento.
De Concha a 15 de Março de 2011 às 14:07
Pois é!
Infelizmente no momento em que vivemos ,as pessoas são só números .Se por um lado só atrapalham ,porque não produzem aquilo que é esperado delas, que seria trabalharem até morrer 24 horas por dia ; por outro é excelente que existam, para poderem contribuir para o "buraco negro" dos cofres do estado .
Preocupa-me ,principalmente a chamada pobreza envergonhada que com valores que há muito o país tem vindo a perder,aprenderam a calar na escuridão das suas vidas.Felizmente que uma certa faixa da sociedade,está mais atenta ao outro , acudindo-o quer através de instituições crediveis,quer a nivel pessoal.
Um abraço Laurinda,com a minha solidariedade por também denunciar certas situações

De Anónimo a 15 de Março de 2011 às 14:26
Olá Laurinda
>É dificílimo viver actualmente e, acreditar, não sei se não nos estará quase vedado. Estamos num tempo díficil apara Portugal e para o Mundo , em geral .
Mas temos que fazer das fraquezas forças, mesmo que tudo nos doa até aos ossos. Se eles ficarem inteiros e as nossas cabeças nos ajudarem, acabaremos por vençer tantas adversidades. Eu já tive muito, depois muito menos e reajustei-me e reequilibrei-me, porque nunca larguei a minha cabeça ou ela a mim. Estivemos presas uma á outra e não caí nunca, mesmo quando estive desempregada. Era licenciada, com expectativas, está bem, mas fui aprender costura para o que desse e viesse, bem como dactilogarfia e passar a ferro e limpar o chão numa "boutique" ( a minha Mãe sempre teve ajuda nas tarefas domésticas) Aprendi coisas que não sabia e me têm sido utilissimas, até hoje. Passemos por estes tempos muito dificeis sem baixar os braços , sem deixrar de ser interventivos e depois, outros tempos virão e serão melhores. Fiquemos com esta esperança e capacidade de lutar contra as adversidades .
Um abraço
Fernanda Matias
De inês a 16 de Março de 2011 às 00:01
Talvez. Quem sabe? as coisas não começaram agora. O que me incomoda é a tolerância para a incompetência, a injustiça (também na Justiça), o salve-se quem puder.
Cá em casa a ordem é: estudem o mais que puderem, e aprendam a ser versáteis porque não sabemos o que nos espera. Nem do governo nem do mundo, portanto, cabeças arrumadas e ideias claras sobre a importância relativa de tudo porque o tempo é de incerteza completa.
Eu vivo pior do que os meus pais viveram apesar de ter um nível de educação superior, e tenho a certeza que os meus filhos ainda vão viver pior.
E isto é triste.
De Carlos Manuel Lopes da Silva a 16 de Março de 2011 às 08:21
Não posso com este mentiroso!
Dava-lhe um bilehte de ida (sem volta) para Marte com todo o prazer... E aos amiguinhos socialistas, claro!
De Carlos Manuel Lopes da Silva a 16 de Março de 2011 às 08:33
A propósito:

1- Leonardo da Vinci:
MENTE EXCEPCIONAL

2- Galileu Galilei:
MENTE EXTRAORDINÁRIA

3- Isaac Newton:
MENTE BRILHANTE

4- Albert Einstein
MENTE GENIAL

5- José Sócrates
MENTE MUITO

Comentar post

.pesquisar
 
.Feitos em Portugal

Feitos em Portugal

.tags

. todas as tags

.portugueses sem fronteiras
.posts recentes

. MUITO OBRIGADA A TODOS PE...

. CURSOS DE COMUNICAÇÃO NO ...

. Curso de Comunicação adia...

. Se tiver quorum ainda dou...

. O BENTO E A CARMO HOJE EM...

. HOJE NO PORTO: SOBREVIVER...

. MÃES QUE NÃO CHEGAM A VER...

. Esta miúda vai longe!

. Alegria!

. Ladrões e cavalheiros

.arquivos
.mais sobre mim
.subscrever feeds